✓ Especializados em Data Center

Subscribe & Follow

Geral

Como investir no ambiente digital?

O ambiente digital oferece inúmeras possibilidades de investimento. Tanto que várias pessoas iniciam seus empreendimentos em plataformas virtuais ou prestam serviços sem ao menos ter que sair de casa, tudo pela internet.

No entanto, é preciso ter cuidado para não cair em golpes. Afinal de contas, há pessoas mal-intencionadas em todos os lugares, incluindo no mundo digital.

Por esse motivo, o artigo de hoje vai trazer algumas dicas de como investir no ambiente digital e conseguir aumentar a sua renda. 

5 possibilidades de investimento na internet

Escolher bem onde investir o seu dinheiro no ambiente digital é ter a certeza de um bom retorno, que em muitas vezes, pode ser em um curto prazo.

Hoje em dia, é possível encontrar várias possibilidades na internet, desde o comércio eletrônico até realização de serviços de marketing, como elaboração de um panfleto inauguração.

Entretanto, é preciso ter atenção para não cair em golpes, para isso conheça algumas dicas de como fazer isso com segurança:

1 – Blogs

Os blogs estão entre as alternativas mais famosas de investimento. Inclusive, muitas pessoas começam com um blog, seja para expressar suas opiniões ou como uma maneira de apresentar seus trabalhos.

Inclusive, muitos indivíduos ganham dinheiro com seus blogs, por conta de anunciantes e parceiros que divulgam no seu canal.

É comum, por exemplo, vermos banner de loja aparecendo nos blogs, como parte de anúncios ou então caso você seja um blogueiro famoso, dá para ganhar dinheiro com marketing de influência, pois muitas empresas podem te procurar.

2 – Programa de afiliados

O site de afiliados ou programa de afiliados, é uma página criada para recomendar ou revisar determinados produtos. Assim, quando um visitante compra algo pelo seu link, você recebe uma comissão.

Hoje em dia, milhares de pessoas conseguem tirar uma boa renda com o programa de afiliados. Isso porque esse tipo de investimento traz muitas vantagens, como:

  • Você é respaldado por uma marca reconhecida;
  • Muitas vezes, não é necessário fazer um investimento inicial;
  • Quanto mais vender, maiores são os seus ganhos;
  • É possível comercializar para um grande número de pessoas;
  • Não é necessário arcar com custos de transporte ou estoque.

Você pode encontrar uma empresa que tenha relação com o que você gosta. Por exemplo, uma vinícola que disponibilize vinho pequeno para lembrança aos afiliados. Há muitas possibilidades na internet.

3 – Lojas virtuais

As lojas virtuais ou e-commerces, são ótimas opções para quem já tem um dinheiro disponível para investimento, mas percebeu que abrir uma empresa física pode ser algo dispendioso (custos de aluguel, infraestrutura, entre outros).

Você pode criar uma loja virtual em um site próprio e com isso, divulgar a sua marca no mercado. 

No entanto, é importante ter parceria com transportadora cargas pequenas para envio dos produtos aos clientes.

Outra opção são os marketplaces, que são uma espécie de “shoppings virtuais”. A vantagem é que você não precisa criar nada do zero, podendo divulgar seus produtos em uma plataforma consolidada.

Entretanto, é necessário pagar uma porcentagem ao marketplace para anunciar seus produtos.

4 – Cursos online

Os cursos online ganharam muita popularidade nos últimos anos. Isso porque eles oferecem a possibilidade de aprender, sem precisar sair de casa.

Na internet, é possível oferecer diversos tipos de cursos, inclusive de aprendizado livre, como técnicas para fazer uma impressão digital colorida, marketing digital, programação, entre outros.

Assim, você pode focar na sua especialidade, investir na montagem do curso e vendê-lo em alguma plataforma específica.

5 – Infoprodutos

Os infoprodutos também ganharam notoriedade na internet, sendo uma ótima opção de investimento para quem deseja ter uma renda extra.

Há diversos tipos de materiais, como e-books, webinars, vídeos explicativos ou até mesmo templates prontos de grande painel de publicidade, por exemplo.

Para economizar, você pode divulgar seus infoprodutos diretamente nas redes sociais, sem ter que arcar com custos de construção de sites.

Como começar a investir na internet?

Independentemente do tipo de negócio que você deseja começar no mundo digital, é necessário ter um planejamento estratégico de investimento. Isso evita que você tenha gastos inapropriados e que possam comprometer a sua renda.

Além do mais, o planejamento te ajuda a acompanhar as principais mudanças, sendo uma maneira de correr menos riscos e ter acesso às informações importantes para o sucesso do seu negócio digital.

Por isso, separamos algumas dicas que vão te ajudar a iniciar o seu planejamento, seja para construir um site da sua empresa de galpão pré moldado ou vender um infoproduto. 

Trace os seus objetivos

Os objetivos referem-se às motivações do investidor e são responsáveis por determinar o foco das aplicações. Eles podem ser pensados a longo prazo ou para períodos mais curtos, o importante é defini-los, para que você saiba por onde começar.

Ao determinar seus objetivos, é possível ter uma ideia estimada de quanto tempo você demora para alcançá-los e quais são as soluções possíveis.

Para quem tem dúvidas de como fazer isso, a dica é buscar por uma consultoria de investimentos, que pode te ajudar a traçar suas metas com mais assertividade.

Faça um planejamento financeiro

Qualquer indivíduo que for começar a investir na internet, precisa ter um planejamento financeiro.

Isso quer dizer que você tem que organizar as suas finanças, contas pessoais e custos para dar início ao seu negócio, diante dos objetivos previamente estabelecidos.

Por meio de um planejamento financeiro, você consegue estipular qual valor é direcionado para dar início ao seu negócio e qual o retorno esperado. 

Além do mais, é importante não misturar as finanças. Se você precisa comprar um PCMSO pronto, por exemplo, não use o dinheiro para sanar uma dívida pessoal. Isso só vai comprometer o seu planejamento e te afastar dos objetivos.

Conheça as ferramentas digitais disponíveis

Com o avanço da tecnologia, é possível encontrar diversos tipos de ferramentas digitais para alavancar o seu negócio na internet. 

No entanto, é necessário escolher os recursos certos, caso contrário, o seu investimento não trará o retorno esperado.

Sendo assim, conheça bem quais são as ferramentas disponíveis e saiba para quê cada uma delas serve. Tente escolher algo que contribua com o crescimento do seu empreendimento, facilitando as atividades cotidianas e diminuindo as burocracias.

Mantenha a sua internet segura

Investir na internet é algo extremamente vantajoso, mas que requer certo cuidado em relação à segurança. 

Afinal de contas, uma invasão hacker pode prejudicar todo o seu negócio, além de roubar seus dados e dos clientes.

Por essa razão, você precisa tomar todas as precauções necessárias para diminuir os riscos inerentes das transações e negócios no mundo online. 

Sendo assim, adote boas práticas para prevenir fraudes e ataques cibernéticos.

Algumas dicas são simples, como:

  • Manter o antivírus e firewalls atualizados;
  • Não realizar operações financeiras em computadores desconhecidos;
  • Não clicar em links ou pop-ups suspeitos;
  • Não compartilhar senhas e acessos com outras pessoas;
  • Não baixar documentos desconhecidos.

Hoje em dia, é possível encontrar várias ferramentas digitais que ampliam a segurança. 

Caso tenha dúvidas, vale a pena entrar em contato com um programador de confiança para ampliar a proteção da sua internet, bem como do seu site, blog ou demais plataformas.

Vá em busca de novos conteúdos

A dinâmica da internet é muito rápida. O tempo todo, nos deparamos com novas atualizações e inovações, em conjunto com o desenvolvimento ágil de ferramentas digitais.

Sabemos que nem sempre é fácil acompanhar esse ritmo, mas se você deseja ter sucesso com o investimento no ambiente digital, independentemente do seu objetivo, é necessário ir atrás de novos conteúdos.

Por isso, seja para fazer uma aplicação ou abrir um empreendimento digital, vale a pena buscar informações relevantes e se necessário, ir atrás de uma consultoria online para conseguir algumas dicas de investimento saudável.

Lembre-se: informação é a grande moeda de troca na internet, e também a grande responsável pelo sucesso do seu negócio online.

Sendo assim, seja curioso, pergunte, leia, pesquise e estude sobre o mercado, as inovações tecnológicas e outros assuntos relacionados com o seu segmento.

Conclusão

O ambiente digital abriu as portas para quem deseja fazer um investimento e ganhar uma renda extra. Com inúmeras possibilidades de ganhos, seja na produção de blogs, abertura de lojas virtuais ou até mesmo em aplicações, todo mundo tem chances de se dar bem.

No entanto, para ter sucesso com o seu empreendimento digital, é necessário formalizar um planejamento. A partir da definição de objetivos e informações valiosas sobre como investir, você conseguirá alcançar o sucesso.

O artigo de hoje buscou contribuir com algumas dicas para que assim, você possa explorar o mundo online e mergulhar nas inúmeras possibilidades de investimento.

Redes sociais

Loja no Instagram: como criar uma?

 

O mundo mudou e as relações comerciais também. Hoje, criar uma loja no Instagram é uma excelente maneira de atrair consumidores e divulgar seus produtos. 

Mas será que isso realmente funciona? E se funciona, como criar uma loja nessa rede social que tem feito tanto sucesso? 

É sobre isso que falaremos, confira! 

 

Por que ter uma loja no Instagram? 

 

O Instagram é uma rede social, na qual usuários divulgam fotos e podem seguir pessoas, artistas e personalidades. Só para se ter uma ideia de como o Instagram se tornou importante, a rede social possuía, em 2018, 1 bilhão de usuários ativos. De fato, o Instagram superou o Facebook em 2018. 

Em 2020, cerca de 500 milhões de pessoas acessam seus perfis no Instagram diariamente. Isso já dá uma amostra de quão grande é o público presente nessa rede social. Quando se pensa em público, 72% dos adolescentes no mundo todo possuem um perfil no Instagram. Adultos entre 25 e 34 anos correspondem a 35% do público na rede social. 

Mais da metade dos usuários é composta por mulheres. Com esses dados, fica claro como essa rede social é popular e como você pode encontrar muitos clientes para seus produtos por lá. 

Mas, vamos falar agora, especificamente sobre o lado comercial do Instagram. Algo que deve chamar atenção logo que se pensa no lado comercial da plataforma é que 90% desses um bilhão de usuários ativos seguem ao menos um perfil comercial. 

Cerca de 71% das empresas dos Estados Unidos estão presentes no Instagram. Ou seja, existe enorme possibilidade de impulsionar as vendas por meio da divulgação dos seus produtos pela plataforma. 

De fato, aqui vai um dado fundamental: 83% dos usuários utilizam essa rede social para encontrar novos produtos ou avaliar as marcas antes de fazerem uma nova compra. Portanto, se você ainda não tem um perfil nessa rede social, repense, pois simplesmente já estar na rede social pode causar um impacto positivo em futuros clientes. 

 

Como criar uma loja no Instagram? 

 

Com a pandemia do Coronavírus em 2020 e consequente isolamento social, a utilização das redes sociais explodiu. E com isso, as vendas online que também subiram muito acompanharam essa mudança nas características comerciais dos usuários. 

Afinal, se antes, o usuário preferiria sair para comprar um produto, devido ao isolamento, as compras pela internet cresceram consideravelmente. Por isso, agora vamos te mostrar o passo-a-passo para criar a sua própria loja no Instagram. 

São poucos passos e logo você já pode começar a usufruir dos benefícios dessa rede social comercialmente. 

É importante saber que o Instagram oferece as opções de conta pessoal, criação de conteúdo e Business. Para você conseguir aproveitar as funcionalidades do e-commerce, você precisa optar pelo Instagram for Business. 

Existem funções que somente no Instagram for Business estão disponíveis, tais como sites, links diretos, preços nas imagens, bem como estatísticas como quantidade de acesso, horário do acesso. 

Siga os seguintes passos. 

 

1. Baixe o aplicativo em sua versão mais atualizada 

 

Se você ainda não tem o aplicativo, procure-o na sua Apple Store ou Google Play. É importante estar com a versão mais atualizada do aplicativo. Caso você já tenha o aplicativo instalado, verifique se não há necessidade de atualizá-lo. 

 

2. Acesse ou crie sua conta 

 

Uma vez que já tem uma conta no Instagram, acesse-a, colocando e-mail e senha. Caso contrário, basta criar uma nova conta no aplicativo. 

 

3. Mude o perfil de pessoal para comercial 

 

Acessando sua conta, do lado direito, clique nos três tracinhos e então vá até “Configurações”. Então, clique em “Conta” e escolha a opção “Mudar para conta profissional”. Então, escolha “Empresa”. 

Lembre-se que para isso tudo isso funcionar, seu perfil não pode ser privado. Portanto, altere a privacidade, mantendo seu perfil público. 

 

4. Faça a ligação com o Facebook 

 

Você pode e deve conectar sua página comercial do Facebook com o Instagram. Assim, você terá os produtos do catálogo no Facebook incorporados ao Instagram. 

Por outro lado, se você já tem um e-commerce, pode vinculá-lo diretamente à rede social. Se você não tem nada disso, pode criar uma loja no Facebook e então, vinculá-la ao Instagram. 

 

5. Configure as compras no Instagram 

 

Acesse “Configurações”, “Empresa” e então “Configurar compras no Instagram” . Conecte sua conta no Facebook. 

Esse processo pode demorar um pouco, então verifique sempre o andamento em “Compras” . 

 

Como ter sucesso com sua loja no Instagram? 

 

Para terminar, vamos dar algumas dicas de como ter sucesso com sua recém-criada loja no Instagram. 

  • Capriche na criação do conteúdo: é importante que ele seja informativo e interessante; 
  • Faça publicações frequentes, direcionadas ao seu público; 
  • Invista em lives, pois assim seu público terá um contato maior com sua loja; 
  • Não deixe seus clientes “no vácuo”, portanto, responda às perguntas que surgirem nas publicações ou por direct; 
  • Faça fotos bonitas; 
  • Use hashtags; 
  • Construa legendas criativas, chamativas e interessantes. 

Pronto! Investindo na qualidade das publicações, certamente sua loja no Instagram será um sucesso! 

 

 

Hospedagem

Hospedagem digital compartilhada. O que você precisa saber?

A hospedagem compartilhada é uma das maneiras mais econômicas de proteger seu site de problemas técnicos e de guardar de forma segura os dados da sua empresa, contando ainda com uma excelente forma de atendimento.

Entenda mais sobre como essa opção pode ser válida para sua empresa, compreendendo se seus principais benefícios podem ser viáveis para o seu bolso e para o pleno funcionamento da sua plataforma, seja de vendas ou não.

O que é hospedagem de sites?

Hospedagem de site é um serviço oferecido por empresas de tecnologia que consiste em armazenar dados, arquivos e todos os componentes responsáveis em manter o sistema de uma plataforma virtual em pleno funcionamento dentro da esfera online.

Ao subir um site na internet, por meio de um notebook novo, um negócio ou até mesmo uma pessoa física acaba não tendo a garantia que ele vai seguir funcionando 24 horas por dia, afinal, muitas instabilidades acontecem no mundo online.

Empresas que trabalham com vendas, por exemplo, não podem deixar de ficar online na maioria do tempo, justamente pela procura de clientes por produtos e serviços. Se uma plataforma cai em um horário de grande movimento, podem acontecer sérios prejuízos.

E é como uma solução para esses problemas que entram as empresas que fornecem serviços de hospedagem. Elas disponibilizam o armazenamento de sites em grandes computadores por meio de processos online, como se fosse uma entrega de documentos.

Nesses computadores, é possível guardar uma grande quantidade de dados, algo que facilita a segurança do site e também traz inúmeras vantagens, por exemplo a aceleração da abertura dele inicial, que irá aparentar estar mais leve.

Além disso, serviços de hospedagem estão preparados para oferecer benefícios aos seus clientes, como suportes e atendimentos voltados para o problema de uma empresa.

E sobre as opções de hospedagem digital, duas possibilidades são as mais procuradas pelo mercado: hospedagem individual e a compartilhada.

No plano individual, uma instituição paga para que todo o site e sistema seja armazenado unicamente em um espaço da empresa de hospedagem. Por ocupar integralmente o espaço de um servidor, o serviço é bem mais caro, apesar de ter benefícios interessantes.

Existe, ainda, a hospedagem compartilhada, onde, basicamente, divide-se espaço com outras empresas, mesmo que o serviço continue sendo satisfatório. 

Por ser uma opção econômica, tornou-se bastante popular entre muitas empresas. Ela será o foco deste artigo. Confira abaixo mais informações sobre as especificações deste tipo de hospedagem.

Entenda os detalhes sobre hospedagem compartilhada

Na hospedagem compartilhada, um servidor abriga a segurança de dados de mais de uma empresa, e essas vão dividir um mesmo espaço. Não é possível saber com quem se divide, sendo uma informação privada da referente empresa.

Essa modalidade de divisão faz com que o serviço seja mais barato do que em uma hospedagem individual, por exemplo. Isso é ideal para empresas com sites pequenos ou médios, que não demandam tanta dependência por assistências potentes.

Para o site de uma empresa de pintura residencial, por exemplo, a hospedagem compartilhada seria ideal. No caso, a plataforma abriga apenas informações sobre os serviços, conteúdos em blogs, mídias e reservas de atendimento.

No caso de uma grande empresa de tecnologia ou uma rede educacional, que tenha muitos dados a serem guardados, e não pode correr riscos de queda, o ideal seria uma opção focada em gerenciamento individual.

O foco da hospedagem compartilhada é justamente facilitar o controle e cuidado do funcionamento devido de dados de um site, passando esse gerenciamento e hospedagem para uma empresa que realmente tenha maior segurança e profissionalização.

Caso contrário, e assim como em muitas situações, o site de um empresa não teria hospedagem, ou em casos que ela existe, sistemas internos de computadores poderiam ficar sobrecarregados, e até mesmo não funcionar em eventuais sobrecargas.

Na maioria das empresas, a possibilidade de ter grandes computadores ou até mesmo equipes de Tecnologia da Informação junto com outros setores em uma sala reunião pequena acaba se tornando inviável, o que favorece o investimento em hospedagem.

Existem inúmeras vantagens em incorporar esse serviço a uma empresa, com certeza todas são interessantes para que negócios continuem funcionando sem problemas e com o mínimo de valor investido.

Veja quais as vantagens dessa modalidade

Entendendo melhor sobre o que é a hospedagem compartilhada e como ela é uma boa opção para que negócios continuem provendo a rede de suas plataformas, sem gastar espaço e pagar o menor preço do mercado, fica fácil escolher essa modalidade.

Abaixo você poderá entender mais sobre estas e outras vantagens de escolher pelo serviço, para que possa entender se essa é uma boa escolha para você!

Mais economia

A hospedagem compartilhada é a opção mais econômica do mercado, pois, pelo fato de compartilhar espaço com outras empresas, ao invés de ter acesso a provedores e computadores de hospedagem completos, os valores são bem mais em conta.

Uma empresa de gestão patrimonial, por exemplo, que precisa manter o site funcionando constantemente, mas não pode investir em uma equipe de sistemas de computadores dentro da empresa, pode escolher a hospedagem compartilhada.

Ao escolher essa modalidade, você poderá encontrar diferentes planos, que englobam atendimentos em setores que você mais precisa, como quedas de internet que impactam no funcionamento da plataforma.

Segurança

Na hospedagem compartilhada você poderá ter muito mais segurança com o seu sistema de computador ou com o seu site, em comparação com aquilo que você já fazia dentro do seu local de trabalho, já que agora sua plataforma será cuidada por especialistas.

Por exemplo, uma empresa de placas informativas personalizadas que sofria com quedas do site, acabou sendo atendida constantemente pela empresa de hospedagem, resolvendo seus problemas com agilidade e quase sempre sem consequências.

Isso acontece porque muitas empresas que cuidam do armazenamento de sites e de seu funcionamento na web fazem monitoramento constantemente, verificando quase que na hora quando existe alguma queda no sistema.

Um suporte completo

Além de cuidar dos dados e informações do site armazenadas, bem como garantir que o site fique no ar, empresas de hospedagem também fazem o monitoramento e o atendimento para diversas plataformas.

Esse atendimento pode ser facilmente realizado, resultando em entregas rápidas por parte dos profissionais que atendem o site. Por meio de chats de conversa ou telefones para contato, é possível procurar soluções em todos os horários e dias.

Compreensão para leigos

Nem todo mundo entende como funcionam as redes de computadores e seus serviços de hospedagem ou administração de sites. Por isso, com a hospedagem compartilhada você poderá ter acesso a painéis fáceis de comando.

Por exemplo, uma empresa que trabalha com flyer digital quase sempre tinha quedas em seu site, e ao contratar uma empresa de hospedagem, passa a se sentir mais segura. Em 

qualquer problema que tiver, pode facilmente entender o que está ocorrendo.

Isso acontece por conta de controles disponibilizados para os próprios donos de empresa, onde eles podem acompanhar o funcionamento do site junto com profissionais da área, auxiliando essas equipes a verificar quando existem erros ou não.

Dessa forma, fica mais fácil entender como está sendo feito o cuidado com o sistema do site e também entender de forma prática como pode ser feito o monitoramento de eventuais problemas, para que sejam repassados para a empresa responsável.

Como escolher a melhor hospedagem

Uma das formas de decidir se a hospedagem compartilhada é uma das melhores opções para a sua empresa, é entender se tudo o que ela oferece poderá suprir as suas necessidades, entregando resultados à altura.

A hospedagem compartilhada é uma excelente opção para companhias que contém diferentes páginas na internet, já que o preço pode acabar sendo interessante para atendimento de mais de uma plataforma, que seria diferente de uma modalidade tradicional.

No entanto, existem também algumas particularidades que devem ser notadas na empresa que fornece o serviço, justamente para que o contratante não se sinta prejudicado. Alguns desses pontos que devem ser levado em consideração, são:

  • A empresa é conhecida?
  • Quem são seus principais clientes?
  • Quanto de banda larga oferece?
  • Qual o tempo mínimo do site ficar fora do ar?
  • Quantos bancos de dados são permitidos?
  • O desempenho do sistema é bom?

Essas são informações quase sempre encontradas por meio de pesquisas na internet, indicações e informações repassadas por amigos e colegas ou, até mesmo, questões pautadas em fóruns na internet, grupos que estão por dentro daquilo que é oferecido.

Procure, sempre que puder, dar atenção a esses detalhes, para que você possa fazer a escolha certa do servidor e empresa que vai cuidar do funcionamento do seu site.

Conclusão

A hospedagem compartilhada é uma das melhores opções para cobertura de sites na internet, e com certeza pode ser uma ótima opção para sua empresa. 

Comece agora a procurar as melhores opções do mercado e resolva seus problemas!

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

programar pelo Linux
Dicas da QnaxPlataformas

Por que programar pelo Linux?

O sistema Linux divide a atenção e preferência de usuários e programadores ao redor do mundo. Ele é considerado mais rápido, seguro e estável em comparação a outras opções, como no caso do próprio Windows.

Quem não entende muito do assunto pode achar que não existe muita diferença, o que não é verdade. E podemos notar isso devido ao crescimento contínuo do Linux ao redor do planeta.

Muitas pessoas estão migrando para ele – e isso não é sem razão. Trata-se de um sistema operacional gratuito, seguro e mais robusto do que os demais.

Tanto usuários quanto programadores precisam ter um autoconhecimento sobre as características desse sistema para que possam escolhê-lo de maneira consciente.

Os computadores fazem parte do nosso dia a dia, tanto em casa quanto no trabalho, e quanto mais rápido e prático de usar, melhor.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o que é Linux, por que ele é mais indicado para os programadores e quais são as suas vantagens.

Se você tem dúvidas a respeito do assunto, leia este texto até o final. Assim, você fica por dentro deste incrível sistema operacional e pode garantir o melhor para sua máquina. Confira!

Entenda melhor sobre o que é Linux

Linux é um sistema operacional, assim como Windows e MacOS. É por meio dele que programas e outros dispositivos são executados. Ele também é distribuído livremente e permite que seus usuários o modifiquem.

Este conceito é mais abrangente, mas se formos a fundo na questão, podemos dizer que seu nome verdadeiro é Kernel. Trata-se de um conjunto de instruções que controla todo o uso do processador, bem como discos periféricos, memória e o próprio disco.

É importante saber disso porque se você comprar um computador novo, saberá que é o sistema operacional que decide como a máquina vai funcionar.

Esse sistema foi lançado em 1991 e criado por Linus Torvalds. Contudo, sua utilidade não é simples, visto que se faz necessário instalar programas adicionais para que possa ser usado.

Exemplos disso são os interpretadores de comando, que permitem o desenvolvimento de novos programas, como no caso dos editores de texto. O Linux é um software livre desde 1992, quando Linus Kernel aderiu à licença GLP.

Para que pudesse ser desenvolvido e usado por pessoas e organizações, como no caso das empresas de instalação elétrica, contou-se com a participação de milhares de desenvolvedores.

Por isso, atualmente, ele pode ser usado pelos mais variados tipos de dispositivos, o que faz com que esteja em todo lugar.

Podemos usar como exemplo os roteadores de internet e os codificadores de TV a cabo. Além disso, boa parte da internet que conhecemos hoje é sustentada por esse sistema e outras soluções GLP, como:

  • Web Apache;
  • Programação PHP;
  • DNS Bind;
  • Javascripts;
  • Entre outros.

Todos esses são executados em sistemas Linux, formando a internet como conhecemos hoje. O Facebook é outro exemplo, assim como softwares de armazenamento em nuvem usados por empresas diversas, por exemplo uma que preste o aluguel de sala reunião.

Isso acontece porque o meio digital pede o uso de softwares livres, o que tornou o Linux peça inquestionável nesse universo.

Para os profissionais de informática, mesmo aqueles que se especializam em uma ferramenta proprietária, acabam se deparando com o Kernel em algum momento.

Principalmente no caso dos programadores, e é sobre isso que vamos falar no tópico a seguir. Continue a leitura e confira!

Por que o sistema é indicado para programadores?

O Linux é um sistema operacional muito popular entre os programadores, administradores e desenvolvedores de servidor. Mesmo assim, quem está se inserindo agora nessa área não tem noção do poder e da flexibilidade dele. 

Com isso mente, vamos mostrar por que esse sistema operacional é indicado para programadores:

Fácil personalização

Existem diferentes opções de software para esse sistema. Um navegador ou, até mesmo, um processador de texto podem ser alterados de acordo com a escolha do programador.

Também é possível decidir quanto ao modo de exibição do sistema e qualquer componente de interface de audio focusrite e muitos outros, visando melhorar a experiência do usuário.

O objetivo é permitir que desenvolvedores usem programas pequenos, mas que ajudem na execução perfeita do trabalho.

Fonte aberta

Por ser um sistema de código aberto, o programador pode contribuir com o código fonte usado em sua criação.

Isso quer dizer que é possível criar sua própria versão do sistema, ajudando em áreas estratégicas e especializadas.

Fácil atualização

Tudo com o Linux é mais simples, como a gravação de áudio e outras necessidades. Isso porque as atualizações nesse sistema operacional são mais fáceis.

Pelo fato de que a distribuição desse sistema tem um repositório central de software, o programador se sente mais seguro.

Tendo todas as atualizações facilmente disponibilizadas, o Linux pode ser atualizado, sem que para isso seja preciso reinicializá-lo.

Os usuários também conseguem automatizar a atualização, consumindo menos armazenamento de dados da internet durante esse processo.

Sem restrições

Esse sistema operacional não tem restrições, ou seja, não é necessário esperar a atualização de algum recurso ou, até mesmo, um patch de segurança.

O Linux é um sistema bem estável e que não está tão sujeito a problemas advindos de malware e vírus.

Fácil de configurar

Se você precisa programar um sistema de segurança residencial controlado por um software, por exemplo, consegue obter todo o respaldo do Linux.

Esse sistema é estruturado em camadas, que são Kernel, hardware, IO e UI, sendo que todas elas são configuráveis. Então, se o funcionamento não está de acordo com o que você deseja, é possível fazer as alterações necessárias.

Para isso, não é necessária uma interface gráfica de usuário para interagir, portanto, você pode usar apenas linhas de comando.

Esse sistema permite ser totalmente ajustado, para que o usuário aproveite todas as suas possibilidades, podendo modificar o código fonte ou criar o seu próprio.

Veja quais são as vantagens para os usuários

Não apenas programadores, mas também usuários têm no Linux uma série de vantagens. Um exemplo disso é a sua alta estabilidade, que garante seu funcionamento por anos, sem nenhum tipo de problema de funcionamento.

Isso é bom para as pessoas, mas principalmente para as empresas, como uma de automação de casa, pois um sistema operacional estável não apresenta riscos de perda de dados importantes e confidenciais.

Raramente é necessário realizar algum reboot no Linux, pois a maioria das mudanças nas configurações pode ser feita enquanto a máquina está ligada.

Outra vantagem que atrai cada vez mais adeptos desse sistema é a sua alta segurança. E isso diz respeito tanto ao servidor quanto ao desktop.

Isso acontece porque qualquer alteração nesse sistema operacional precisa ser aprovada pelo usuário root, um tipo de controlador especial do Linux.

Em outras palavras, há menos riscos de ser afetado por um vírus ou ser atacado por um programa malicioso instalado no computador. Tudo só poderá ser adicionado ao seu sistema se você autorizar por meio de nome de usuário e senha.

O Linux é mais leve, rápido e flexível, além de rodar perfeitamente em praticamente qualquer computador. Independentemente de modelo ou processador, é possível instalar esse sistema, inclusive versões mais leves em computadores mais antigos.

No caso das empresas, como uma fabricante de interruptor de luz, esse sistema pode ser reconstruído, tendo suas configurações modificadas para manter apenas os serviços que realmente são necessários.

Outra vantagem para os usuários é a liberdade de poder alterar o código fonte para que o sistema tenha as características necessárias, atendendo às necessidades de cada um.

Por fim, estamos falando do sistema operacional de menor custo. Isso porque tanto o Linux quanto os programas que o acompanham são softwares livres.

O usuário pode copiar e instalar o sistema livremente, sem que precise comprá-lo ou correr atrás de licenças, além de não correr o risco de pagar multa por usar versões falsificadas.

Existem diversas distribuições do Linux, sendo que várias empresas famosas, dos mais variados setores, fazem uso dele, como no caso do próprio Google.

Conclusão

O sistema operacional do seu computador é parte importante do funcionamento dele. Por isso, é importante que você escolha aquele que atende melhor às suas necessidades e expectativas.

O Linux possui todos os recursos necessários para um uso diário e livre de programas, portanto, está caindo nas graças de um número cada vez maior de usuários, o que inclui grandes empresas.

É uma forma de moldar a sua máquina de acordo com o que você precisa, de maneira segura e sem prejudicar seu funcionamento.

Então, se você busca mais autonomia em seu sistema operacional, deve considerar o Linux como a melhor opção do mercado e que vai otimizar todo o seu computador.    

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

MAC x Windows
Dicas da QnaxPlataformas

MAC vs Windows: Entenda a vantagem de cada sistema

Para os amantes de informática, um sistema operacional diz mais sobre um aparelho eletrônico do que seus fatores externos. No mercado, os mais populares, Windows e Mac, seguem como os preferidos em stand feira, e mais úteis sistemas de execução de tarefas.

Cada um apresenta suas particularidades, que podem trazer (ou não) benefícios para seus usuários, trazendo então uma forte competição no mercado. Conheça neste texto qual o melhor sistema para você, tanto para uso pessoal, quanto profissional. Acompanhe!

O que é um sistema operacional?

Antes de começar a entender qual sistema operacional é o mais adequado para a sua necessidade, é preciso saber o conceito do que é um sistema, bem como suas funções e suas particularidades.

Um sistema operacional funciona como um executor de tudo o que vai funcionar em um notebook novo, computador, aparelho celular ou em outros tipos de dispositivos tecnológicos. Esse sistema é a base de tudo o que desejamos trabalhar dentro dele.

Por isso, é um fator determinante para as respostas que o computador dá diante de determinadas ações que desejamos. Esse sistema é decisivo para a capacidade da execução dos hardwares, responsáveis por produzirem tarefas.

Alguns exemplos de tarefas são: execução de jogos, processamento de dispositivos, abertura de páginas na internet, download de arquivos e muitas outras funções que podemos usar em um computador.

No entanto, dependendo do tipo e local de uso, os sistemas operacionais podem ser programações distintas. 

Um sistema operacional em um computador de uma clínica veterinária popular, por exemplo, com certeza será menos potente do que aquele que funciona em empresas de grande porte. 

No primeiro exemplo, é possível que o usuário não tenha tantas demandas para serem executadas naquele computador, ou talvez os programas não sejam tão pesados de carregar. Já em grandes centros de pesquisa, o oposto geralmente pode acontecer.

Em meio a isso está inserida a experiência do usuário, que é tido como o comandante destas ações. 

Dependendo do sistema operacional e da estrutura interna do aparelho sendo utilizado, é possível que o equipamento possa não funcionar da melhor e mais rápida maneira.

Uma outra característica de sistemas operacionais distintos é a diferença entre suas interfaces. Cada um apresentará um visual ou painel de comando de ações diferente, algo que pode ser alinhado com a expectativa de cada pessoa, de acordo com a função.

Windows e Mac: os queridinhos do mercado

Entendendo melhor o que são sistemas operacionais e quais suas funções principais, um usuário com prioridades voltadas para usos de sistemas de fácil acesso, tanto em uma forma financeira quanto de execução, geralmente escolhe um Windows ou um Mac.

Conheça melhor cada um deles a seguir:

Windows

O Windows, criado pela empresa americana Microsoft, teve sua primeira versão lançada no ano de 1985, comercializando o PC (ou Personal Computer), uma das representações do populismo dos computadores.

A interface, imortalizada pelos Windows, ou “janelas” em português, trazia inúmeros programas que facilitam rotinas e atividades, principalmente aquelas relacionadas ao trabalho e estudos, como no caso dos Word, Excel, Powerpoint e muitos outros.

A Microsoft foi, de certa forma, a primeira e mais popular empresa que possibilitou a utilização em massa de aparelhos computadores em todo o mundo,  afinal, o sistema operacional Windows pode ser utilizado em aparelhos de diversas marcas.

Hoje, o sistema operacional continua sendo considerado líder de uso no mercado, justamente por essa facilidade e liberdade de ser executado em diferentes marcas de tecnologias. 

É por conta de seu pioneirismo que foi sendo utilizada como molde para outros grandes sistemas.

Mac

O sistema operacional Mac OS X (ou simplesmente Mac) revolucionou toda a história na indústria de computadores, justamente por trazer modernidade, velocidade e estética em um só aparelho, bem como produtos da marca, com o mesmo processador.

Lançado no mesmo ano que a Microsoft, o sistema operacional Mac, criado pela Apple foi pensado para dispor de uma arquitetura de programação, dentre peças e hardwares, que estabelecem um processamento e uma utilização fantástica do aparelho.

A velocidade e facilidade em acessar programas e executar tarefas é um charme tão forte quanto sua estética, repleta de um minimalismo moderno e de fácil gosto por quem escolhe um aparelho para a produção de convites personalizados, por exemplo.

Com o passar dos anos, e a partir de cada lançamento de produtos, a Apple foi se tornando cada vez mais líder no mercado, justamente por criar as melhores formas de navegação e utilização dos computadores, criando, ainda, novos produtos e estilos de vida.

Esse foi o caso do Ipod, um aparelho menor que uma mão, capaz de processar e executar músicas via armazenamento em um sistema próprio. Aconteceu o mesmo com o Iphone, um aparelho celular inovador que segue até hoje com a máxima popularidade e sucesso.

Vale lembrar que o sistema Mac roda apenas em computadores Mac, diferente do que é proposto pela Microsoft, com o sistema operacional Windows, motivo este que pode agradar alguns e desagradar outros.

Quais as principais diferenças entre eles? 

Apesar de ambos serem sistemas operacionais e condicionarem o funcionamento e a execução de tarefas em um computador, as duas marcas proporcionam, além de finalidade, diferenças claras entre elas, sendo algumas delas:

  • Preço;
  • Estabilidade;
  • Usabilidade;
  • Design.

Em relação a acessibilidade financeira, o Windows, por ser mais popular, permite um preço mais agradável para cada tipo de bolso, embora tenham computadores mais caros, geralmente voltados para funções mais específicas, geralmente relacionadas a trabalho.

Já o Mac, por estar apenas em aparelhos da Apple, cujo design e peças utilizadas são mais caras, acaba sendo adquirido por preços mais elevados. Essa é uma questão quase sempre contornada por conta de sua boa qualidade e durabilidade.

Sobre a estabilidade, é possível verificar que PCs, ou seja, aqueles que trabalham com Windows, são mais propensos a mostrar erros e falhas, prejudicando atividades. Essa caraterística quase nunca é notada em computadores Mac, que estão em bom estado.

A usabilidade dos sistemas também é uma questão, talvez a mais determinante na fidelização dos produtos. Enquanto o Windows possui certos comandos e disposições de ícones, programas, instalação de internet, etc – com o Mac, isso é diferente.

Por serem ambos sistemas de fácil uso (claro, com certo aprendizado), geralmente, essa questão varia de pessoa para pessoa, estando relacionado ao gosto e à experiência pessoal.

A configuração física dos aparelhos tem uma diferença exorbitante, afinal, como já dito, enquanto a Mac tem ferramentas e complementos, como monitores, câmeras e mouses específicos e padrões, o Windows pode estar presente nos mais diversos aparelhos.

Melhores finalidades para cada um dos sistema 

Na hora de escolher por um computador e o sistema operacional mais adequado, muitas pessoas acabam tendo dúvidas do que é melhor para suas necessidades, sejam pessoais ou profissionais. 

Veja abaixo algumas das finalidades e necessidades que são as mais favoráveis para diferentes tipos de situações e prioridades:

1 – Edição

Em questão de edição, seja gráfica, vídeo ou áudio, os computadores que contém o  Mac são os mais populares, visto que o sistema operacional segura bem alguns processamentos e programas mais pesados, agradando e facilitando a vida de profissionais.

Em uma mesa de som profissional, por exemplo, é mais comum encontrar algum tipo de computador Mac, do que algum aparelho que rode Windows.

2 – Programação

Muitos programadores optam por investir em computadores Windows, justamente pela facilidade que existe em modificar funções relacionadas a sistema e processamento, melhorando-as ou até mesmo modificando para outros sistemas.

A liberdade de fazer modificações, tanto para testes e treinamentos dentro do trabalho de programação, quanto para uso pessoal é uma das vantagens, algo que se conecta com a possibilidade de comprar esses equipamentos por preços mais em conta.

É possível que em uma clínica que faz receituário odontológico, precise também de um sistema que permita programações, com intuito de automatizar sistemas para uso de profissionais, melhorando ainda mais os processos em um ambiente de trabalho.

3 – Redação e navegação

Se você pretende redigir textos, mexer em programas agregados dentro de plataformas web ou executar qualquer tipo de atividade comum, que não exija muito espaço de processadores ou demande muito trabalho em sistemas, o Windows é uma boa opção.

Caso você queira investir neste tipo de sistema em computadores que vão compor uma sala comercial pequena, por exemplo, o custo-benefício será ideal, ficando ainda por conta do comprador, se esse aparelho se assemelha aos gostos pessoais.

Conclusão

Escolher entre um sistema operacional e outro pode até parecer algo difícil para alguns, ainda mais para aqueles que desejam economizar um bom dinheiro, e ao mesmo tempo investir em um aparelho de qualidade. 

No entanto, seguindo as dicas dadas acima, não tem como errar!

Mas, além de custo-benefício, características externas ou finalidades, é sempre importante investir em um aparelho que vá fazer o usuário feliz, e que também pretenda ser muito usado, afinal, tecnologias muitas vezes podem ser bem caras, e precisam valer a pena.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.