✓ Especializados em Data Center

Subscribe & Follow

Dicas da Qnax

Espuma do Moscow mule: saiba como fazê-la em casa

Descubra os truques para reproduzir este drink famoso no seu lar.

Na década de 1950, nos Estados Unidos, nasceu um drink que se tornou um clássico dos bares de todo o mundo: o Moscow mule, ou mula de Moscou, em tradução para o português.

Feito com vodka e uma espécie de cerveja feita com gengibre, o coquetel é um verdadeiro coice de mula em quem exagerar.

No Brasil, essa combinação de sabores ficou famosa como “o drink da canequinha”, uma vez que, para manter a baixa temperatura do Moscow mule, ele é servido em canecas de cobre.

Receita clássica

A receita original do Moscow mule leva:

  • 60 ml de vodka;
  • 180 ml de cerveja de gengibre;
  • 15 ml de suco de limão;
  • Gelo a gosto,
  • Uma caneca de cobre.

No Brasil, a cerveja de gengibre não é uma bebida popular ou fácil de ser encontrada. Isso não significa que o Moscow mule não possa ser feito por aqui.

Adaptações

O Moscow mule tem como características principais o alto teor alcoólico, a caneca de cobre e uma espuminha perfumada no topo.

Na falta da cerveja de gengibre para poder criar esse colarinho, o jeito foi improvisar e desenvolver alternativas no universo da coquetelaria.

Cada bartender tem uma técnica e um truque para reproduzir a espuminha da mula de Moscou. Separamos algumas para que você escolha qual preferir.

Clara de ovo

A clara de ovo pasteurizada é bastante popular no universo da coquetelaria e, antes que alguém torça o nariz, basta lembrar do pisco sour, drink típico do Chile e do Peru, que leva esse ingrediente.

Provavelmente, você já deve ter provado essa espuminha de clara sem se dar conta de qual era o ingrediente usado, não é mesmo? Para fazer a espuma do Moscow mule com clara, você vai precisar de:

Ingredientes

  • 2 claras de ovos;
  • 50 ml de suco de limão,
  • 100 ml de xarope de gengibre.

Modo de fazer

Coloque todos os ingredientes na coqueteleira e agite bem até ficar bem espumante e cremoso. Adicione a espuma por cima do drink na caneca de cobre e sirva em seguida.

Emulsificante

Este é um ingrediente muito usado no universo da panificação e da gelateria. O emulsificante ajuda a deixar os preparos mais aerados. Para tirar proveito de suas propriedades no Moscow mule, use:

Ingredientes

  • 25 ml de xarope de gengibre;
  • 100 ml de água,
  • 9 g de emulsificante em gel.

Modo de fazer

Coloque os ingredientes em um bowl ou copo alto e, com o mixer, misture tudo até dobrar de volume. Com uma colher, sirva por cima do Moscow mule.

Chantilly aromatizado

Outra forma de fazer uma espuma bem cremosa para servir sobre o coquetel é lançar mão do creme de leite fresco batido, o famoso chantilly. Para essa opção, você vai precisar de:

Ingredientes

  • 1 caixa de creme de leite tipo chantilly bem gelado;
  • Gengibre em pó a gosto.

Modo de fazer

Deixe o creme de leite na geladeira por, pelo menos, 12 horas e, em seguida, bata-o na batedeira com o gengibre em pó até ficar bem firme. Se o dia estiver muito quente, você pode colocar algumas pedras de gelo em volta do bowl da batedeira para acelerar o processo.

A maioria dos cremes de chantilly de caixinha já vem adoçada. Para quem acha muito doce ou não quer que o sabor comprometa o drink, pode dar preferência alo creme de leite fresco.

Também é preciso ter atenção ao ponto do chantilly, que deve ser firme e cremoso. Se bater demais, existe o risco de o creme ficar parecido com uma manteiga, comprometendo o sabor do Moscow mule.

Dicas da Qnax

Mitos e verdades sobre ar-condicionado

Se você deseja comprar um ar-condicionado, veja alguns mitos e verdades que circulam sobre este aparelho e o que fazer para usá-lo da forma adequada.

Muita gente pensa em instalar um ar-condicionado em casa, mas acaba desistindo de ideia ao ouvir histórias tenebrosas sobre a instalação e a manutenção do aparelho.

É verdade que a instalação exige cuidados sobre o espaço físico e as estruturas que vão dar suporte a este item. Contudo, muitas informações falsas correm em redes sociais e alguns sites sobre o efeito do ar-condicionado sobre a residência e a saúde dos moradores.

Por isso, se você tem dúvidas de como ajustar a temperatura do ar-condicionado ou não sabe o que é necessário para manter esse aparelho em sua residência, confira alguns mitos e verdades sobre ele.

Problemas respiratórios

Um mito recorrente que circula sobre o ar-condicionado é que ele favorece o surgimento de gripes, alergias e até pneumonias, mas o que provoca isso é o mau uso do aparelho.

Gripes e alergias podem ser favorecidos se a temperatura selecionada pelo usuário for muito baixa (inferior a 24ºC), pois isso resseca o ar, o que afeta as mucosas da garganta e dos olhos.

Outro cuidado é que este aparelho não seja colocado em um cômodo muito pequeno, já que, se existir alguém gripado nele, isso facilita a disseminação do vírus causador da gripe e dos ácaros que provocam alergia.

Consumo de energia

É verdade que a temperatura selecionada pode impactar o consumo de eletricidade. Temperaturas extremas (muito baixas ou elevadas) exigem um trabalho mais intenso do aparelho, o que demanda mais energia elétrica.

O tipo inverter consegue manter um consumo de energia mais equilibrado e econômico que modelos comuns, nos quais a condensadora para de funcionar quando o ar-condicionado atinge a temperatura selecionada e liga novamente quando o termostato percebe uma grande diferença de clima.

Esse processo de ligar e desligar causa picos de consumo de energia, que acabam aumentando o valor da conta mensal de luz.

Profissional qualificado

É verdade que qualquer tipo de ar-condicionado (exceto o portátil) exige que a instalação seja realizada por um profissional qualificado. Assim, não faz sentido investir em um aparelho desse, mas economizar na mão de obra que vai verificar as condições da rede elétrica da sua casa ao instalá-lo.

Isso ocorre, pois a instalação de um ar-condicionado envolve aspectos sensíveis ao funcionamento da casa, como válvulas, ligações elétricas, carga de gás e estrutura para suportar o peso do aparelho. Sem a perícia necessária para analisar todos esses fatores, a instalação pode ser mal feita, o que vai gerar prejuízos futuramente.

Verão e inverno

Embora a procura por aparelhos como o ar-condicionado aumente durante o verão, é falsa a ideia de que esse item só pode ser usado nessa época do ano. Os tipos com o ciclo reverso (frio e quente) propiciam tanto a refrigeração quanto o aumento da temperatura de um ambiente.

No verão, a vantagem é reduzir a sensação de calor e retirar o excesso de umidade do ar, o que te permite dormir, relaxar no sofá e trabalhar melhor, por exemplo. Já no inverno, esse tipo de ar-condicionado esquenta e umidifica o ar, além de filtrá-lo, o que pode reduzir a ocorrência de alergias.

Ruídos

Um mito bastante recorrente é que o ar-condicionado é desvantajoso, pois faz barulho enquanto trabalha. Isso depende do modelo escolhido. Se você percebe que o seu aparelho produz ruído, pode ser um sinal de que está na hora de fazer uma revisão com um profissional qualificado.

Em aparelhos mais antigos, como os do tipo janela, essa situação pode ser mais comum. Em contrapartida, os modernos possuem tecnologia mais avançada e trabalham sem produzir ruídos.

Dicas da Qnax

15 dicas para guardar dinheiro

Saiba como poupar em 2021 para passar o ano no azul.

 

Fazer o dinheiro render mais é o sonho de praticamente todo mundo. Afinal, ter a segurança de uma renda extra para poder realizar um objetivo, investir em algo muito desejado ou custear uma emergência é bastante importante.

No entanto, você sabia que, às vezes, isso é possível, e a gente é que não enxerga essa chance? Algumas mudanças pequenas na rotina, como evitar o pagamento a longo prazo ou mudar hábitos de consumo, já fazem diferença no fim do mês.

O tempo é o maior fator gerador de riquezas, e você pode usá-lo ao seu favor se começar a guardar dinheiro ainda hoje. Não precisa ser um grande montante. Basta começar por um objetivo factível, um número que você consiga poupar todo dia ou mês.

É assim que você deve iniciar esse processo: aos poucos e com algo viável de ser cumprido. Se precisar de mais dicas para conseguir transformar o desejo em realidade, basta continuar lendo este texto!

Organização

Para conseguir guardar dinheiro, é preciso planejamento e organização. Para isso, você pode:

  1. anotar todo dinheiro que entra, como o salário, renda como freelancer, ganhos por meio de um bico, etc;
  2. anotar todo dinheiro que sai, por exemplo, gastos com cafezinho, presentes, passeios, contas fixas, etc.

Com essas duas primeiras dicas, você vai poder notar para que seu dinheiro é usado e como economizá-lo. Contudo, não é só isso:

  1. pague suas dívidas para ver quanto sobra;
  2. pague suas contas fixas em dia, assim não há multa.

Hábitos

O seu estilo de vida também pode prejudicar as suas finanças. Avalie o que pode ser mudado na rotina e comece já com essas sugestões:

  1. faça uma lista de compras antes de ir ao mercado;
  2. não compre nada por impulso, quando estiver muito triste ou alegre;
  3. use transporte alternativo;
  4. troque a academia por atividades físicas ao ar livre, pois elas são gratuitas;
  5. repense o cafezinho pago na padaria após o almoço — qualquer trocado ajuda a encher o cofrinho;
  6. sempre que for possível, priorize a compra de medicamentos genéricos;
  7. transforme hobbies em fontes de renda extra, sempre que conseguir,
  8. busque atividades de lazer que sejam mais em conta ou gratuitas.

Inteligência

Use seu conhecimento ao seu favor. Com isso, economize para passar o ano no azul e até gerar renda. Observe:

  1.  gaste menos do que ganha: isso parece simples, mas se você descuidar, acaba errando a mão e se endividando mensalmente;
  2.  comece a poupar quanto antes;
  3.  escolha onde investir seu dinheiro para que ele renda mais (ações, imóveis, Tesouro Direto, entre outros);
  4.  evite parcelar compras e faturas para não pagar juros;
  5.  pesquise o preço do produto antes de realizar uma compra;
  6.  negocie e peça desconto sempre que for possível;
  7.  guarde e invista qualquer dinheiro que sobrar, mesmo que seja pouco. Cerca de R$ 10 por dia gera R$ 300 a mais na sua conta ao final do mês,
  8.  tenha metas factíveis e, se for preciso, determine um prazo para concretizá-las. Isso vai motivar a economia de todo e qualquer centavo que você conquistar.

Também é essencial lembrar que deslizes podem acontecer e acabar atrapalhando o plano. Se ocorrer alguma emergência, não desanime e nem desista do objetivo de guardar mais dinheiro.

Para quem está desempregado, enquanto não aparece uma oportunidade efetiva, é válido tentar opções alternativas, informais ou contratos como pessoa jurídica, a fim de incrementar ou garantir algum dinheiro.

Aqui, vale tudo: conseguir uma oportunidade na sua profissão de formação, transformar um hobby em fonte de renda ou buscar ajuda na internet para aprender algo diferente e que possa ser vendido — o importante é ocupar a cabeça e usar isso a favor do seu bolso.

Mobile Marketing está cada vez mais importante para os negócios imobiliários
Mobile

Mobile Marketing está cada vez mais importante para os negócios imobiliários

Setor imobiliário com a chegada de novas tecnologias vão ajudá-lo a encontrar um bom imóvel em Franca

O setor imobiliário é considerado um dos mais avançados tecnologicamente no que diz respeito ao uso de novas tecnologias como QR Codes, beacons, blockchain, NFC e inteligência artificial, para citar alguns e implementá-los. Isso, por sua vez, forneceu aos incorporadores imobiliários vários benefícios para auxiliar seus negócios em marketing, vendas, gerenciamento e rastreamento de clientes existentes e potenciais de forma eficiente.

Dessa forma, o Mobile Marketing tem estado cada vez mais importante no cenário imobiliário. Afinal, o formato de marketing móvel tem sido uma necessidade constante para um mundo constantemente influenciado pela tecnologia e em especial por quem deseja pesquisar imóveis ao desejar comprar um apartamento em Franca para morar.

Hoje em dia, cerca de 80% dos compradores de casas procuram por uma nova residência em modo online. Portanto, a necessidade de se desenvolver estratégias de marketing móvel é vital para corretores e imobiliárias. Quer saber um pouco mais sobre o Mobile Marketing? Confira algumas curiosidades que trouxemos para discutir neste post. Acompanhe!

1. Público que usa ferramentas móveis

Hoje em dia, a Geração Y e os millennials preferem usar seus smartphones em vez de computadores ao buscar por um apartamento para alugar em Franca, por exemplo. E não apenas isso: a geração Y será o principal público-alvo do ramo imobiliário dos próximos anos. Naturalmente, quem cuidar da incorporação de estratégias de marketing móvel no setor imobiliário estará à frente da curva. Quem não reconhecer as tecnologias existentes e, mais importante, saber como integrá-las, verá que as oportunidades de mercado serão perdidas para a concorrência.

2. Importância de se gerar bons leads

Gerar leads é uma das partes mais importantes do setor imobiliário. Conseguir uma fonte ativa de leads ilimitados é um problema que muitos corretores de imóveis enfrentam. Embora existam vários softwares de CRM para gerenciar o banco de dados, a aquisição de dados para a continuidade dos negócios parece ser um problema persistente. Com o advento dos smartphones e da internet, aproveite tecnologias como códigos QR e tags NFC para geração contínua de leads, que, por sua vez, podem ser ativamente convertidos em compradores de sucesso.

3. Uso de diversos modos de tecnologia

Ferramentas de marketing de proximidade, como beacons e geofences, também podem ser utilizadas para gerar leads em potencial. Instale um beacon nas instalações da sua agência para enviar notificações no aplicativo relevantes para o setor imobiliário. Por exemplo, coloque códigos QR em calçadas, espaços vazios de propriedades ou até mesmo no site da empresa. Esses códigos QR podem ser anexados a um formulário onde os clientes em potencial podem deixar suas informações ou até mesmo deixar que eles liguem para você por mostrar interesse.

4. Possibilidades de mobilidade no setor imobiliário

Ao usar códigos QR dinâmicos em campanhas, os corretores de imóveis podem anotar uma lista exaustiva de clientes interessados, rastrear e analisar o número de varreduras de QR Code para ajustar suas campanhas e integrá-las no Google e no Facebook. Os códigos QR podem ajudar a gerar leads de maneira rápida e eficiente, sem ter que ir muito além. O uso de códigos QR dinâmicos ajuda os corretores de imóveis a mudar suas campanhas, mesmo após a impressão, editando e personalizando-as de acordo com sua necessidade. Além disso, os códigos QR são econômicos e fáceis de integrar com qualquer campanha existente ou não em um anúncio ativo.

5. Integração da tecnologia e facilidades ao cliente

Os corretores de imóveis não podem estar presentes em todas as propriedades para fornecer informações aos seus clientes 24 horas por dia e a tecnologia pode ajudar nesse sentido. Crie folhetos, brochuras, placas de quintal, calçadas ou anúncios OOH e coloque códigos QR neles que, após a digitalização, redirecionam os compradores interessados ​​a um site com informações completas da propriedade. Os códigos AR (códigos QR de realidade aumentada) também podem ser usados ​​para mostrar uma propriedade em tempo real. Coloque códigos QR em sites ou campanhas para os clientes digitalizarem e visualizarem a propriedade em tempo real. Os filtros de impacto também têm grande potencial para alertar os agentes imobiliários sobre o paradeiro dos compradores em potencial e direcioná-los de acordo. Defina um limite em uma propriedade de grande venda e sempre que um comprador entrar no perímetro, envie alertas por SMS ou notificações no aplicativo. Aderir a essas tecnologias não apenas diminui o tempo de inatividade, mas também permite canais de comunicação fáceis, aumentando assim o sucesso de vendas de uma imobiliária.

6. Estar nas mídias sociais é fundamental

Plataformas de mídia social como Instagram, Twitter e Pinterest não devem ser esquecidas. Eles desempenham um papel igualmente importante no controle da imagem da empresa. Inclua códigos QR ou tags NFC em anúncios OOH junto com anúncios de propriedades em calçadas, placas de quintal e outdoors para redirecionar os clientes aos canais de mídia social durante o tráfego. Assim que os compradores em potencial escanearem esses códigos QR, eles podem ser redirecionados no Google e no Facebook. Para corretores de imóveis que possuem seu próprio aplicativo, beacons e geofences também podem ser usados ​​para enviar notificações no aplicativo e para redirecionamento de mídia social.

Com mais de 700 milhões de usuários no Instagram, é uma plataforma ideal para publicidade de conteúdo para grandes públicos para corretores de imóveis. O marketing de mídia social pode ser ótimo para monitorar métricas, construir uma rede forte com clientes em potencial e colegas da indústria e aumentar o alcance com marketing de mídia social.

7. Uso de SMS ainda vale à pena!

O marketing de SMS pode parecer uma velhice. No entanto, esse tipo de marketing se espalhou por todos os setores verticais da indústria para criar uma maneira eficaz de alcançar leads direcionados. Use uma combinação de mensagens de texto relevantes, mas oportunas, para compradores em potencial. Existem quatro tipos de marketing de SMS: por palavras-chave, campanhas de SMS em massa, pedido de resposta, além de envio de alertas e lembretes programados.

Descubra seu caminho e adote estas possibilidades para alavancar seus negócios!

 Gostou destas informações sobre o impacto do marketing e da tecnologia móvel nos negócios imobiliários? Compartilhe este post em suas redes sociais!

O QUE É UM ESB
Dicas da QnaxFerramentas

Entenda o que é um ESB

O ESB é uma das principais ferramentas para integrar diferentes sistemas, atuando na área de arquitetura de softwares e sendo uma das escolhas mais populares para solucionar problemas de integração em empresas.

Por exemplo, uma companhia que fabrica lava louça de embutir precisa de uma série de serviços que devem ser interligados, para ser possível encontrar uma boa solução tecnológica para seu funcionamento.

Em uma descrição mais básica, um ESB (Enterprise Service Bus, ou Barramento de Serviços Corporativo) é um conjunto de regras criadas para a integração de diversas aplicações, em uma estrutura que se assemelha a um impedimento.

Existem diversos formatos diferentes de ESB, permitindo ao desenvolvedor escolher o modelo que melhor se adapta a suas necessidades quando opta por usar esse tipo de arquitetura.

As diferenças entre modelos variam tanto em suas funções como em seu uso, sendo necessário um conhecimento prévio antes de iniciar a utilização de um ESB na arquitetura de sua empresa.

A ideia principal por trás do ESB é a integração de aplicações, funcionando como um interligamento de conexões que permite uma troca de informações e comunicação entre diversos sistemas diferentes, independente do formato utilizado por cada um deles.

Esse conceito surgiu da necessidade de empresas de solucionar os problemas de integração que ocorrem quando são utilizados diversas plataformas e sistemas diferentes, que dependem da comunicação para funcionar corretamente.

O primeiro passo foi a utilização de uma programação exclusiva, que interligava cada um dos sistemas utilizados manualmente.

Inclusive uma empresa de mangueira hidráulica industrial deve interligar todos os sistemas que utiliza para facilitar o trabalho administrativo e conseguir um melhor resultado no setor operacional.

Entretanto, quanto mais um negócio cresce e se desenvolve, mais opções ele utiliza em integração, tornando um sistema próprio demasiadamente complexo e frágil para ser mantido sem um processo de segurança, como é o caso do ESB.

Funções de um ESB

A estrutura de um ESB passa por alguns pontos fundamentais, que são necessários para a funcionalidade integral da ferramenta. 

Compreender estas etapas é essencial para conseguir identificar as necessidades e elementos que devem ser levados em conta ao implementar essa ferramenta em seu sistema.

1. Orquestração

O processo de orquestração reúne diversos elementos na construção de um serviço básico, que balanceia as informações e recursos disponíveis, bem como organiza as opções disponíveis dentro da arquitetura do sistema.

Muitas vezes, uma sala de reunião pequena equipada para sua equipe de TI é tudo o que é necessário para que profissionais possam desenvolver um bom conceito de orquestração.

Dentre os recursos disponíveis na orquestração, podemos citar:

  • Roteamento de mensagens;
  • Tratamento de falhas;
  • Enriquecimento;
  • Split Joints.

Em resumo, a orquestração é onde se define quais são os elementos necessários dentro do Enterprise Service Bus para torná-lo ativo e funcional, identificando os principais pontos de necessidade da empresa.

2. Transformação

A transformação é uma etapa onde cria-se uma série de dados e formatos específicos que são exigidos por cada sistema conectado ao ESB, para conseguir convergir todos os dados e ativar a interligação entre todas as plataformas.

É um dos pontos mais cruciais da operação, pois é onde você capta dados de uma determinada fonte e os converte para um formato que seja mais adequado à estrutura que está sendo criada.

Alimentando, assim, corretamente o sistema através da integração dos sistemas em questão.

Para facilitar o trabalho de construção da estrutura através da transformação, uma ferramenta comumente utilizada é a dos modelos canônicos.

Serviços de automação predial empresas dependem da conexão de diversos sistemas para seu funcionamento, e a transformação é a etapa principal nesse tipo de elemento.

Esse formato busca modelos que serão padronizados em todos os momentos do ESB, permitindo um controle maior sobre o acesso aos dados e serviços necessários.

Uma vez que todos os serviços que serão incluídos no processo estiverem modelados, é muito mais fácil identificar os pontos que precisam de ajustes e identificar o que precisa de modificação para uma melhor funcionalidade.

3. Transporte

Aqui, todas as informações necessárias para o funcionamento do ESB começam a convergir entre os sistemas aplicados, passando por vários formatos, que podem ser necessários para concluir a integração de sistemas.

Para conseguir acessar diferentes funções, o ESB precisa que as informações migrem entre as plataformas usadas de forma orgânica e natural, utilizando terminais para se comunicar entre cada uma delas.

4. Web Services

O ESB tem um grande potencial de integrar serviços da web em suas redes de integração. 

Isso permite que a conexão seja feita pela própria aplicação, sem a necessidade de um acesso separado para cada sistema de internet que você utilizar.

Dessa forma, o próprio sistema define a lógica de roteamento que será utilizada, sem depender da conexão fora do barramento para atingir sua funcionalidade.

O que é SOA?

O Service Oriented Architecture, ou SOA, é um sistema de arquitetura de sistemas que está intimamente ligado aos conceitos do ESB.

Aqui, até mesmo um profissional com um notebook para escritório pode desenvolver um grande projeto arquitetônico quando falamos de tecnologia da informação.

A Arquitetura Orientada a Serviços, como é chamada em português, é uma sigla que define todo o conceito de integração entre uma empresa e a tecnologia da informação, por meio de uma série de serviços acoplados e interligados.

O desenvolvimento de sistemas em ambientes corporativos tem se tornado cada vez mais complexo e com um grande fator de imprevisibilidade, gerando uma série de lombadas na produção.

Para resolver esses pequenos problemas que começaram a surgir, como duplicidade em códigos e falhas de comunicação, começaram a ser estruturados blocos de código que formam uma arquitetura de sistemas.

Sendo essa uma evolução natural das soluções que o mercado tinha até então.

Com o avanço das inteligências artificiais, principalmente as de recolhimento de dados, é muito mais fácil e rápido identificar quais são as falhas em um determinado processo e pensar em soluções para ela.

Logo, se tornando possível aproveitar as oportunidades de desenvolvimento e conectar todas as funcionalidades de forma correta.

Uma empresa de sala de reunião para alugar pode precisar de uma série de detalhes para registrar seus clientes em sistemas automatizados, e o SOA é uma forma de identificar o melhor meio de fazer isto.

Com isso, os ESBs acabam tornando-se uma etapa primordial dos sistemas de arquitetura, uma vez que a facilidade de uso pode ser uma vantagem competitiva em relação ao desenvolvimento profissional.

Quais são os benefícios do ESB?

Dentre as inúmeras vantagens que o ESB pode levar a sua empresa, em termos de utilização de sistemas e de padrões, podemos citar algumas em especial.

Estes elementos são fundamentais para o bom andamento do processo, que pode auxiliar diversos pontos da empresa.

Possibilidades de reutilização

Um dos pontos importantes a se levar em conta é que, depois de estruturado, o ESB pode ser reutilizado em diversas outras aplicações sem a necessidade de um grande trabalho para refazer a estrutura.

Isso porque, uma vez que se criem os padrões de desenvolvimento, eles poderão ser replicados e acessados em muitas outras opções. 

Aumento da produção

Por automatizar uma série de pequenos processos manuais, o ESB permite que sua equipe de desenvolvimento consiga se focar mais em outros pontos importantes, elaborando novas soluções e aprimorando ainda mais o trabalho da empresa.

Uma empresa que trabalhe com ambientação 3d terá muito mais vantagem se seus desenvolvedores não ficarem presos a rotinas repetitivas e que podem facilmente ser aperfeiçoadas por um bom ESB.

Isso também diminui o tempo gasto em desenvolvimento de processos monótonos, uma vez que o ESB pode ser reutilizado e readequado em diversas novas operações.

Maior flexibilidade

Através do uso de conceitos como os modelos canônicos, é fácil adaptar o ESB para uma série de processos diferentes.

Tornando-o uma ferramenta extremamente flexível e adaptável para resolver uma série de eventos que podem surgir durante a estruturação da arquitetura do sistema.

Com isso, é muito mais fácil se adaptar a mudanças e novos conceitos, explorando fontes que antes ficariam apenas em campos de ideias. Essa flexibilidade é um dos principais e mais fortes pontos da utilização do ESB como ferramenta de trabalho.

Manutenção simplificada

Com custos e tempo de utilização reduzidos, a manutenção de um sistema ESB é muito mais simples e prática, permitindo que em alguns minutos todas as funções básicas estejam prontas para iniciar os processos automáticos.

Assim, a manutenção dos serviços acaba ficando muito mais fácil de lidar, além de funcionar de forma mais prática para a equipe de desenvolvimento que fica responsável por avaliar o funcionamento do projeto.

Mais integração

Talvez um dos principais pontos de utilizar um ESB, a integração com diversos sistemas é possível através da estrutura de modelos que a ferramenta utiliza, unificando todos em uma barragem específica.

Isso permite que um usuário consiga integrar as informações relacionadas em diversos sistemas e utilize de maneira mais dinâmica todos eles, conquistando um espaço mais adequado para seus serviços.

O mercado cada vez mais exige que as empresas estejam adequadas às tecnologias mais modernas existentes, e muitas vezes isso pode dar um grande trabalho, uma vez que são várias fontes e elementos diferentes que precisam ser conectados.

Hoje em dia, um simples conserto apple watch precisa de um conhecimento técnico preciso, e empresas não podem ficar sem utilizar essas ferramentas de forma adequada.

Por isso, pensar em uma estrutura como o ESB é fundamental para qualquer empresa que deseja se manter competitiva no mercado, principalmente na área de TI.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.