Empresas

A tendência que virou realidade: Lojas virtuais podem acabar com lojas físicas?

Esta velha discussão tem se intensificado devido à pandemia. Ainda é cedo para bater o martelo, mas parece que estamos diante de um modelo híbrido de compras

Mais de 20 milhões de brasileiros descobriram o e-commerce no último ano. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) houve um crescimento de 68% no setor, R$ 126,3 bilhões em faturamento e mais de 300 milhões de pedidos. Com isso, fica o questionamento: as lojas virtuais vão “matar” as lojas físicas?

É inegável o boom das compras feitas no e-commerce, mas as compras via lojas físicas ainda são predominantes, ao menos no Brasil – na China, durante a pandemia, o e-commerce superou os concorrentes físicos pela primeira vez na história.

A resposta definitiva só teremos nos próximos anos. O que existe atualmente são estudos, tendências e análises especializadas que apontam que o futuro é cada vez mais virtual, mas há cautela ao prever o fim dos estabelecimentos varejistas.

O declínio das lojas físicas

Desde 2008, os Estados Unidos já vinha enfrentando um declínio de seus malls (como são chamados os shopping centers por lá). No fim de 2019, houve recorde de vacância neste tipo de estabelecimento, segundo números divulgados pela Reis Moody’s Analytics.

A Fast Company já dá como certa a decadência desses espaços. As sucessivas crises – 2008, 2015 e 2020 – fizeram o consumo diminuir, e as lojas de departamento, que ancoram os shopping centers, perderam faturamento, fazendo com que elas se retirassem das cidades pequenas e médias.

Com a pandemia de Covid-19 e as medidas de isolamento, que tornaram inviável a permanência de milhares de pessoas em um ambiente fechado, o processo pode se acelerar. Um relatório do banco Credit Suisse datado de 2017 já previa que um quarto deste tipo de estabelecimento fecharia em 2022.

De acordo com a ABComm, o Brasil registrou 107 mil lojas virtuais abertas entre 23 de março e 31 de abril do ano passado. No entanto, dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontam que 75 mil estabelecimentos comerciais fecharam as portas em 2020.

O que explica este cenário é, principalmente, o impacto da pandemia e a força do e-commerce.

De um lado, houve recuo das vendas físicas, principalmente no início da pandemia, quando o isolamento social atingiu índices de 47%. O receio de novas restrições para conter a circulação do vírus também preocupa o comércio varejista tradicional. Do outro, houve uma necessidade de migrar para o online para sobreviver à crise, atendendo à crescente demanda no digital.

Em paralelo, mais um dado que contribui para dar dimensão do crescimento do e-commerce: em 2020, só a B2W, dona das marcas Submarino, Americanas.com e Shoptime, viu a sua receita líquida avançar 52%, e o volume total que foi movimentado nos sites, saltou 47,6% (R$ 27,7 bilhões). Seus concorrentes diretos, Mercado Livre e Magalu, tiveram desempenho ainda melhor.

O futuro é multicanal

Embora cada vez mais completa, a experiência de adquirir um bem pela internet é completamente diferente de fazer uma visita à loja física, mas cada uma tem suas vantagens. Por isso, sairão na frente os varejistas que forem capazes de atrelar os canais virtuais e presenciais.

Este fenômeno já está acontecendo. Um estudo da ABComm e outro da Ebit/Nielsen concluíram que empresas tradicionais do varejo, como Casas Bahia, vendem mais na internet do que as que nasceram totalmente digitais, como a Netshoes.

Ou seja, as lojas tradicionais são complementares às plataformas de e-commerce e não devem ser consideradas concorrentes.

Não é à toa que até mesmo marcas que estrategicamente estavam fora dos canais digitais, como as premium, estão investindo no online. A Michael Kors, por exemplo, que antes só operava nos mais luxuosos shoppings das grandes cidades do país, inaugurou seu primeiro e-commerce para o Brasil e América Latina em 2021.

As operações nas lojas físicas já começaram a ser repensadas. As lojas de departamento, por exemplo, têm oferecido opções mais dinâmicas e interativas a seus clientes. Agora é possível conferir uma informação sobre o produto a partir de um QR Code presente na etiqueta, comprar pelo site e retirar o item no estabelecimento mais próximo e até mesmo comprar um produto online em totens instalados dentro da loja física.

Marcas inovadoras estão ainda mais à frente, pensando em seus estabelecimentos como espaços de experiência ao consumidor. Em 2018, a Nike inaugurou em Nova Iorque a sua primeira loja conceito do tipo live. Com cinco andares, o espaço conta com quadras esportivas nos quais os clientes podem testar os produtos em situações reais antes de comprar, um verdadeiro museu com os tênis mais emblemáticos já lançados, além de contar com espaços exclusivos para quem possui o app da marca.

Estes são alguns exemplos que mostram que as lojas físicas não vão desaparecer. O consumidor ainda vai conseguir “dar só uma olhadinha” nos itens à disposição.

A novidade é o modelo híbrido na hora de concretizar as compras. Com as pesquisas feitas in loco, o cliente terá muito mais segurança para sacar o smartphone do bolso, por exemplo, e efetuar a compra no varejista online que melhor atende às suas necessidades.

Escrito por Maria Gabriela Ortiz

investir no setor de TI
Dicas da QnaxEmpresárioEmpresasPequenos Negócios

Por que investir no setor de TI?

O investimento na tecnologia da informação tem se provado uma necessidade cada vez mais aparente para todos os setores do mercado.

Foi-se o tempo em que bastava um notebook escritório para informatizar sua empresa. Hoje em dia, são necessários diversos elementos para tornar uma empresa funcional em questões de tecnologia.

A área é uma das que mais cresce atualmente e, principalmente devido a crise gerada pela pandemia do COVID-19, tem se provado ser um elemento fundamental em qualquer empresa que deseja se manter ativa.

Apesar de cada vez mais pessoas compreenderem a necessidade de ter um setor de TI, algumas empresas ainda não se deram conta da necessidade de ter uma equipe qualificada e com equipamentos de ponta para conseguir desenvolver um trabalho adequado.

Uma boa equipe de Tecnologia da Informação tem potenciais infinitos para a sua empresa, aumentando a produtividade com soluções inovadoras de tecnologia, reduzindo custos das operações e dos processos repetitivos.

Permitindo, assim, que seu time foque em conquistar novas oportunidades.

Todas essas interações acabam gerando resultados bastante positivos para a empresa, transformando o gasto com bons profissionais de TI em um investimento de retorno bastante satisfatório. 

Isso porque a margem de lucro do empresário que investe em TI tende a crescer.

Além do mais, companhias que ainda veem o setor tecnológico como um custo a mais acabam perdendo boas oportunidades de crescimento e de desenvolvimento, ficando para trás no mercado que evolui quase diariamente.

Outro grande ponto de vantagem de empresas que já tinham uma equipe de TI estruturada é que, quando o distanciamento social para conter o avanço do coronavírus se iniciou, estes empreendimentos já tinham formas de lidar com os problemas gerados.

Não basta, entretanto, ter uma boa instalação de internet em um ambiente para usufruir dessas tecnologias. É preciso pensar em todos os elementos que podem auxiliar esse tipo de trabalho.

Isso porque uma empresa que investe em TI terá muito mais soluções para trabalho home office, aplicações que funcionem remotamente e não façam a empresa perder seu trabalho, por exemplo.

As consequências de não apostar em profissionais de Tecnologia da Informação costumam ser sentidas tanto a curto, como a longo prazo.

Isso porque quanto menos uma empresa tiver investido em sua própria tecnologia, menos inovações ela conseguirá ter, e por consequência, acabará se tornando obsoleta no mercado.

Além disso, sempre que algum obstáculo surgir, o negócio precisará correr e “apagar o incêndio”, não possuindo meios de se proteger e de lidar com calma com as situações que se apresentarem.

A TI permite que uma empresa consiga automatizar processos, definir novas estratégias de negócios e usar a tecnologia a favor da empresa, não como um obstáculo, mas como uma ferramenta de produção. Por isso, o investimento na área se faz cada vez mais necessário.

Mesmo uma empresa que trabalhe com meios manuais, como uma empresa de refeições coletivas, tem muito a ganhar investindo em TI, automatizando parte de seu processo para conseguir novos resultados.

Para isso, basta compreender quais são os principais pontos em que a tecnologia da informação toma espaço no mercado e prova-se uma grande aliada de qualquer empresa. Conheça-os a seguir.

1 – Aumento de produtividade

Um negócio que investe em TI tem a possibilidade de utilizar a gestão do conhecimento, um elemento fundamental nos dias de hoje para a construção de uma boa política de processo.

Quando uma empresa está ligada de forma positiva a seu setor tecnológico, ela consegue diminuir o desaproveitamento de diversas fontes. Uma das principais é o desperdício de tempo.

Isso porque uma das grandes vantagens da Tecnologia da Informação é criar soluções de automação de processos.

Assim, tornando elementos repetitivos e que geram um desgaste de funcionários e de tempo de trabalho em processos simples, realizados por inteligência artificial (IA).

Você pode ter uma sala de reunião moderna em seu escritório, mas é com equipamentos de ponta que a diferença será feita na empresa.

Com sua equipe livre de perder tempo com atividades repetitivas, você pode focar-se no setor negocial, fundamental para o desenvolvimento da empresa.

Estas tarefas deixam de exigir que alguém especializado fique preso fazendo os serviços manuais, o que tira o medo de que, caso algo aconteça com aquele funcionário específico que o impeça de comparecer ao trabalho, todo o processo acabe parando.

Uma equipe respaldada por um setor tecnológico competente, com equipamentos adequados para trabalhar também sente-se valorizada, sabendo que é importante seu trabalho e que a empresa está cuidando do bem-estar de todos.

Como consequência, um funcionário satisfeito é muito mais produtivo do que aquele que, por conta de problemas de equipamento e de uma estrutura precária de tecnologia, acaba ficando desiludido e cansado de operacionalizar suas tarefas.

2 – Mobilidade de dados

Um dos principais pontos que fez o setor de TI ser muito alavancado depois do início da pandemia é a questão da mobilidade. A tecnologia está transformando o meio de trabalho das pessoas, desde as equipes de gestão até o operacional de uma empresa.

Inúmeras companhias já adotam o home office como parte de seu padrão de funcionamento, e até mesmo ferramentas móveis como tablets e smartphones podem ser utilizadas para o trabalho de qualquer lugar do mundo.

Entretanto, para conseguir utilizar corretamente essas funções não basta uma boa conexão com a internet no local onde o funcionário se encontra. É preciso que toda a empresa esteja estruturada para trabalhar de forma digital.

Nesse ponto, a tecnologia da informação surge como ferramenta fundamental para essa formação. 

Criar soluções que utilizem ferramentas digitais como armazenamento em nuvem, serviços e operações remotas e ferramentas de gestão são parte integrante desta criação.

A velocidade de acesso aos dados é parte essencial do trabalho de TI para permitir que toda a equipe possa usufruir do trabalho remoto. 

Essa expertise foi o que manteve – e ainda está mantendo – muitas pessoas ativas no mercado de trabalho durante o período do isolamento social.

Caso você ainda assim precise de uma assinatura física ou outro documento que não possa ser digitalizado, pode se apoiar em serviços avulsos como serviço de motoboy para entregar esse tipo de informação para o gestor.

3 – Comunicação aprimorada

Outro dos pontos positivos de um bom investimento na área de TI é que elementos como a comunicação da empresa, tanto interna quanto externa, acabam sendo otimizados pelas ferramentas digitais e tem seus custos reduzidos.

Claro que você ainda pode ter um cartão de visita colorido para sua empresa, mas hoje em dia, é fundamental se adequar à comunicação digital.

Isso porque os serviços de comunicação acabam melhorando o entendimento entre as partes e evitam o retrabalho, uma vez que é muito mais fácil identificar com quem uma pessoa precisa se comunicar e encaminhar diretamente para ela a informação.

Dentre os principais, estão:

  • E-mail;
  • Mensageiros privados;
  • Redes sociais;
  • VoIP e telefonia digital.

Além disso, podemos citar o uso de agendas e calendários integrados a ferramentas de comunicação, permitindo que todos tenham acesso a informações relevantes dentro do ambiente corporativo.

Até mesmo o gasto com viagens e estruturas de reunião pode ser reduzido se os serviços de telefonia digital e de vídeo conferências forem utilizados corretamente, otimizando o orçamento da empresa, sem perder a qualidade em sua comunicação.

4 – Melhor gestão

A tecnologia da informação consegue gerar relatórios e análises com agilidade e assertividade nos dados, permitindo a uma equipe de gestão muito mais controle sobre a situação da empresa.

Através da utilização de bancos de dados e de inteligência artificial, é possível compreender exatamente quais pontos devem ser melhorados e o que está funcionando nas decisões tomadas pela equipe de gestão.

Isso permite a criação de uma melhor visão sobre o andamento do empreendimento.

Uma empresa de auto peças universal precisa que sua equipe de administração esteja sempre ciente das etapas dos processos de venda para conseguir manter bons resultados, por exemplo.

Portanto, o setor de TI é um grande aliado da gestão, pois é de onde surgem soluções adequadas para desenvolver novas capacidades e ideias dentro do ambiente empresarial, possibilitando tomadas de decisão muito mais conscientes por parte das equipes gestoras.

Além disso, com uma boa estrutura de TI é possível acessar esses relatórios remotamente, garantindo segurança para o gestor, que também poderá ficar sobre o regime de teletrabalho, assim como seus colaboradores.

Afinal, por ocasião da atual situação em que vivemos, é importante levar em conta que quanto menos contato for necessário dentro de um ambiente corporativo, melhor para todos os envolvidos.

5 – Aumento na segurança 

Um dos principais medos da maioria dos empresários com esse avanço tecnológico é a segurança de seus dados.

Quanto mais tempo passamos na internet, mais casos vemos de pessoas que tiveram dados importantes furtados, e isso gera medo e ansiedade ao tentar levar sua empresa para o campo digital.

Entretanto, um dos alicerces de uma boa equipe de TI é a preocupação com a segurança corporativa.

Quanto mais investimento você colocar em sua equipe, mais soluções eles conseguirão criar para manter um ambiente seguro e confortável para qualquer tipo de situação.

Isso permitirá que todas as informações de sua empresa permaneçam em segurança, trazendo mais tranquilidade para a entrada no mundo digital.

Mesmo uma empresa que vende caixa para arduino precisa ter seus modelos e documentação de clientes protegido para não ter problemas.

Conclusão

A necessidade de investimento em TI tem se tornado cada vez mais uma prioridade em qualquer empresa que tem o desejo de manter-se competitiva.

Este artigo buscou apresentar a importância de como ter profissionais de Tecnologia da Informação em seu negócio torna-se indispensável para se reinventar em um mercado que sofre constantes atualizações.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

O que é BPM
Dicas da QnaxEmpresárioEmpresas

O que é BPM (Business Process Management)?

O BPM (Business Process Management), ou Gerenciamento de Processos de Negócio, é um software de ponta, que permite verificar, avaliar e gerenciar várias atividades dentro de uma empresa, garantindo a eficácia da produção e melhorando os resultados.

Sabe-se que a gestão e medição do desempenho de qualquer negócio são fundamentais nos dias de hoje. Afinal de contas, só é possível aplicar melhorias estratégicas, quando se sabe exatamente quais são as falhas e ganhos da empresa.

Quando o empreendimento não tem controle sobre seus processos, a eficiência de produção fica comprometida e, além disso, pode-se investir em recursos dispensáveis, o que gera um aumento de gastos desnecessário.

Nesse sentido, o BPM pretende melhorar o gerenciamento de processos, sendo uma metodologia aplicada a todos os tipos de negócio, desde uma creche infantil particular até setores da indústria.

No artigo de hoje, conheça mais o que é BPM, como ele funciona e quais as vantagens de investir no recurso. Acompanhe a leitura!

Como o BPM funciona?

Muito mais do que um simples software, o BPM é uma abordagem de gerenciamento adaptável, que tem como principal finalidade sistematizar os processos organizacionais individuais complexos, incluindo as atividades realizadas dentro e fora da empresa.

Ou seja, o BPM visa levantar informações importantes de como os processos são executados, para que os gestores possam avaliar os dados e perceber quais melhorias são indicadas para cada uma das tarefas.

Desse modo, a tomada de decisões é muito mais assertiva, permitindo a adoção de ações estratégicas para o desenvolvimento de práticas mais eficientes dentro do seu negócio.

Por exemplo, se um centro de usinagem CNC está tendo problemas no cumprimento de prazos, o BPM consegue reunir essas informações e saber o porquê está ocorrendo atrasos na produção. Com isso, os gestores podem adotar medidas que evitam esse problema.

Sendo assim, a grande vantagem do BPM é que ele oferece uma melhoria contínua dos processos, garantindo que as organizações tenham mais eficiência, produtividade e possam realizar mudanças focadas e funcionais.

De certa forma, a metodologia pode ser encarada como uma ruptura nos tradicionais métodos de gerenciamento de processos, visto que a intenção é aperfeiçoar as atividades, por meio da análise de dados.

Por meio da inovação, flexibilidade e integração com a tecnologia, o BPM é capaz de melhorar as atividades da empresa, além de ajudar no alcance de objetivos de todos os tipos de empreendimentos, seja em uma empresa de aluguel de empilhadeira, ou qualquer outro negócio.

Quais as vantagens de usar o BPM?

Além de garantir a melhoria contínua dos exercícios da empresa, colaborando com o aperfeiçoamento de processos e assertividade nas decisões, o BPM oferece uma série de benefícios às organizações. Entre eles, destacam-se:

  • Maior transparência na análise dos processos;
  • Maior qualidade e controle administrativo;
  • Aumento da produtividade nos diferentes setores;
  • Redução de gastos;
  • Orientação e direcionamento dos custos;
  • Geração de evidências verídicas para avaliação.

Além do mais, o software BPM também trabalha com a entrega de documentos completos de análise, com relatórios que medem o desempenho de cada um dos segmentos empresariais. Desse modo, os gestores podem fazer uma avaliação mais focada.

O controle também é algo importante e que merece destaque entre os benefícios do BPM. Tendo o controle dos indicadores de desempenho, é possível ter maior previsibilidade quanto à qualidade dos processos.

Assim, de forma simples e direta, a empresa pode acompanhar as atividades e controlar o andamento de todas as tarefas, com um poder maior de gerenciamento e conhecendo o momento certo para agir.

Por utilizar uma tecnologia de ponta, o BPM também traz mais segurança à organização. Afinal de contas, com a criptografia de dados, somente as pessoas devidamente autorizadas têm acesso à informação da empresa.

Além disso, é possível separar o acesso a determinados dados. Ou seja, somente cargos específicos podem analisar e verificar os conteúdos, reduzindo as chances de perda ou extravio das informações.

Quais são as etapas envolvidas na organização BPM?

Já que o BPM trabalha com o levantamento de informações valiosas para a avaliação do desempenho, é necessário saber como aplicar a metodologia e, desse modo, compartilhar os dados corretos com os gestores.

Por esse motivo, há algumas etapas envolvidas na aplicação do BPM. A seguir, conheça cada uma delas.

1 – Mapeamento de processos

O primeiro passo é o mapeamento de processos. Por meio dele, é possível compreender quais são as principais atividades dentro da empresa e quais estão tendo problemas, requisitando melhorias ou aperfeiçoamentos.

Por exemplo, em uma indústria metalúrgica, um dos processos de destaque é a fundição de aluminio sob pressão. Sendo assim, é importante mapear toda a atividade, para verificar se ela está tendo o desempenho pretendido.

O mapeamento é uma etapa muito importante, pois ele permite conhecer a fundo o processo, entender quais os problemas e, desse modo, agir sobre eles. Assim, é possível identificar os gargalos, bem como delimitar funções e fazer uma previsão de recursos.

Inclusive, dá para ter uma noção de gastos, como uma maneira de alcançar o sucesso. No momento de mapear os processos, é necessário:

  • Envolver todas as pessoas em uma construção colaborativa;
  • Identificar e listar os processos;
  • Propor as melhorias possíveis;
  • Estabelecer quais são as prioridades;
  • Monitorar o andamento das atividades.

O mapeamento de processos ajuda a estabelecer possíveis falhas. Por exemplo, ao perceber que o laudo técnico AVCB está vencido, já dá para colocar em prática as ações que vão garantir a renovação do certificado.

Com isso, a empresa não sofrerá com interrupções, que podem comprometer o andamento da produtividade.

2 – Padronização dos processos

A padronização dos processos, como o próprio nome sugere, consiste no ato de organizar e formalizar as atividades, de acordo com princípios comuns a todos os colaboradores. 

Ou seja, é um modelo que deve ser seguido para assegurar a realização de todas as tarefas corporativas.

 

Por exemplo, pode-se estabelecer uma padronização para as medidas do relógio comparador digimess. Desse modo, todos os processos são feitos da mesma maneira, o que facilita a análise dos dados posteriormente.

No entanto, a padronização de processos demanda uma avaliação anterior, já que a aplicação dos métodos deve seguir um nível de excelência. Além disso, é preciso considerar as necessidades do negócios e o potencial dos colaboradores.

Aqui, a figura do gestor é fundamental, uma vez que ele será o responsável pela delegação das atividades, bem como por repassar o conhecimento da metodologia.

3 – Melhoria dos processos

A etapa de melhoria dos processos também é conhecida como BPI (Business Process Improvement), sendo o momento do reparo incremental das atividades da organização.

O objetivo é assegurar que todas as funções sejam exercidas corretamente, mas atendendo às expectativas do negócio e dos clientes. Dessa maneira, é possível obter os resultados esperados.

É recomendável montar um fluxo de trabalho para apresentar ao cliente. Por exemplo, ao fazer um projeto de fachada, é interessante apresentar um plano para que o consumidor entenda como todo o processo será executado, estabelecendo funções, metas e prazos.

Isso oferece uma segurança ao cliente e, além disso, é uma maneira de garantir que os colaboradores cumpram corretamente suas funções.

4 – Otimização dos processos

A otimização dos processos é a última etapa da aplicação do BPM. Nesta fase, o objetivo é levantar todas as ações possíveis que uma organização pode realizar para aumentar o desempenho de suas atividades.

Em resumo, a otimização visa identificar as oportunidades em que as melhorias podem ser aplicadas, além de encontrar as maneiras ideais para aperfeiçoar os processos e buscar por melhores resultados.

A otimização de processos é uma etapa que oferece diversas vantagens às empresas, já que ela permite identificar quais são os riscos (e assim tomar atitudes para reduzi-los), quais os custos envolvidos e, finalmente, melhorar a capacidade de resolução dos problemas.

Por esse motivo, é a etapa de fechamento do BPM. Após a otimização, todo o ciclo se inicia novamente.

Conclusão

O BPM é um sistema de gerenciamento de processos bastante eficiente, que tem conquistado empresas de todos os portes e segmentos. 

Devido à sua facilidade de aplicação, em conjunto com os resultados rápidos e a automação das atividades, é possível obter ótimas melhorias com o método, além de permitir a organização das informações de uma maneira muito mais efetiva.

O artigo de hoje buscou trazer alguns dos aspectos e formas de aplicação que integram o BPM, para facilitar a análise das informações e a tomada de decisões na sua organização. 

Dessa forma, é possível aproveitar todos os benefícios desse sistema de organização e, ainda, verificar um grande aperfeiçoamento nas atividades da sua empresa.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

O que é o Intranet
Dicas da QnaxEmpresasPequenos Negócios

O que é intranet e como ela pode ser útil para uma empresa?

A intranet é um canal digital que as empresas usam para se comunicarem com seus colaboradores. Mas esse recurso vai muito além de ser apenas um meio virtual que manda recados.

Podemos dizer que essa tecnologia cumpre papel estratégico, que ajuda a potencializar a produtividade das organizações, além de aumentar sua competitividade, inovação e inteligência organizacional.

O engajamento dos colaboradores também melhora, e tudo isso só é possível porque estamos falando de um canal orgânico, que tem como foco as pessoas. Portanto, ele não se prende apenas à comunicação interna, facilitando também o dia a dia das companhias.

Só que não podemos virar as costas para seu maior destaque, que é promover uma melhor comunicação interna. Inclusive, a falta dela impõe muitas dificuldades para as empresas, o que vai refletir diretamente na qualidade daquilo que a marca faz.

Ter qualidade é essencial hoje em dia, visto que o mercado está cada vez mais concorrido e não há espaço para erros que poderiam ser evitados. Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o que é intranet, como ela pode ser usada e quais suas vantagens. Confira!

Entenda melhor o que é a intranet

A intranet é uma tecnologia de uso exclusivo das corporações. Trata-se de uma rede de computadores que se assemelha à internet, possibilitando a comunicação entre todos os departamentos.

Vale dizer que a comunicação organizacional é fundamental para qualquer tipo de empresa, como no caso daquelas que fazem adesivação de veículos ou outros tipos de serviço.

Isso diz respeito tanto ao entendimento entre colaboradores quanto à maneira como falamos com os clientes, os parceiros e até os fornecedores.

A intranet auxilia nesse processo e, o melhor, sem que para isso seja necessário um investimento exorbitante. Ela é acessada apenas por meio dos computadores da companhia, mantendo todas as equipes informadas a respeito do que é necessário.

Isso é importante porque sempre há dados e informações que precisam ser trocados entre os colaboradores de diferentes setores, inclusive, não faltam exemplos para isso.

Além de uma boa sinalização vertical de advertência, a corporação precisa garantir que a equipe de marketing tenha uma boa comunicação com a equipe de vendas, por exemplo.

O departamento pessoal precisa manter os funcionários por dentro de alterações no que diz respeito aos benefícios, e assim por diante.

Esses são apenas alguns exemplos do quanto a comunicação é importante, e a intranet funciona como um veículo que facilita esse processo e torna toda essa ação muito mais ágil e eficaz.

O responsável de cada setor deve saber o que precisa ser publicado, só que isso é muito simples, afinal esse sistema é desenvolvido e instalado de acordo com as necessidades de cada companhia.

Ou seja, há todo um projeto por trás, que garante ajustes que possam atender ao perfil empresarial do negócio, sem excessos ou faltas.

Como a intranet pode ser usada?

Agora que você já sabe do que se trata essa ferramenta, chegou a hora de mostrarmos de que maneira ela pode ser usada em empresas de diferentes segmentos.

Antes de qualquer coisa, você precisa entender que se trata de uma rede particular de computadores que utiliza um protocolo de comunicação conhecido como TCP/IP, como acontece com a internet.

No entanto, ela será acessada apenas por meio dos computadores da empresa, ou seja, apenas os colaboradores terão acesso.

Vamos usar como exemplo uma grande clínica veterinária popular que tem um site público que pode ser acessado por qualquer usuário da internet.

Só que ela também tem um site que só pode ser visto e acessado por seus colaboradores, podendo, inclusive, permitir o acesso de fornecedores em alguns pontos.

Além de ser algo interno, ele também pode ser acessado por colaboradores que estejam em outros lugares, como no caso de filiais que acessam a intranet da matriz.

Esse processo é seguro porque é utilizado um recurso conhecido como firewall, que filtra o acesso à rede. Por conta de sua facilidade e segurança, a intranet vem substituindo as redes locais fechadas, sem falar em seu baixo custo.

Conheça quais são as vantagens da intranet

Ter uma boa comunicação interna é essencial para qualquer companhia, pois é ela que permite o desenvolvimento e a produtividade de cada colaborador.

A intranet ajuda a compartilhar informações de maneira muito mais rápida, difundindo dados e conhecimentos essenciais para o bom andamento da empresa.

Uma rede de lojas de auto peças de moto, por exemplo, consegue centralizar a comunicação para todos os seus funcionários, independentemente da quantidade total de colaboradores.

Esse fator ajuda a organizar processos e serviços, bem como padronizar todos eles. Sem falar que o armazenamento de documentos se torna muito mais simples, podendo ser acessado por todos os trabalhadores da empresa.

Essa facilidade agiliza a conclusão de tarefas e as torna menos burocráticas. Além de todas essas vantagens, outras devem ser mencionadas, como no caso da redução de custos.

Isso porque a criação de avisos de maneira centralizada reduz a necessidade de impressões. Ou seja, a empresa não precisa imprimir um aviso para cada funcionário, o que reduz o uso de papel, tinta e energia elétrica.

O dia a dia se torna mais eficiente, pois o acesso à informação é mais rápido, sendo que todos os dados podem ser acessados a qualquer momento, mesmo remotamente.

Outra facilidade é a possibilidade de fazer circular diferentes tipos de mídia, além de imagens e textos, como áudios e vídeos.

Contudo, a maior vantagem é a alta disponibilidade da intranet, que permite que todas as informações relevantes estejam disponíveis para os colaboradores, sem demora e burocracia.

Por fim, essa tecnologia ajuda a aumentar o engajamento dos funcionários, um fator muito importante para qualquer negócio crescer, como no caso de uma empresa de retrofitting de máquinas.

Por que o engajamento é importante?

Já que tocamos no assunto, é interessante entender por que o engajamento é um fator tão importante para as empresas hoje em dia.

Quando o engajamento está em alta dentro da corporação, a motivação, a qualidade e a produtividade também melhoram consideravelmente.

Todas essas características são essenciais para o sucesso de qualquer tipo de companhia, nos mais variados nichos de mercado, como:

  • Varejo;
  • Indústria;
  • Comércio;
  • Alimentos;
  • Serviços;
  • Entre outros.

Ter colaboradores engajados com os objetivos da corporação é o melhor caminho para atingir bons resultados.

Para se ter uma ideia dessa importância, um estudo realizado mostrou que companhias que têm maior engajamento podem ter resultados 200% melhores do que aquelas que não têm.

Isso porque se, por exemplo, uma empresa de laudo de opacidade tem um alto engajamento, ela lida com profissionais que não estão lá apenas para cumprir seu horário de trabalho e receber o salário.

Eles se sentem parte da corporação e querem se desenvolver, ajudando a atingir os resultados almejados.

Ou seja, colaboradores engajados são um ativo para a empresa, fazendo um trabalho de excelência que eleva a organização a outro patamar.

Como implementar a intranet?

Antes de implementar essa tecnologia, qualquer empresa, como aquelas que alugam container para obra, devem fazer isso de maneira consciente.

A intranet é um sistema capaz de melhorar o ambiente de trabalho, o que, evidentemente, aumenta a eficiência de todas as equipes.

Mesmo que ela seja acessada apenas pelos colaboradores, é necessário buscar a melhor opção, bem como pensar em sua criação de modo a atender às necessidades da companhia.

O primeiro passo é contratar uma empresa especializada nesse trabalho, capaz de criar uma rede interna que conte com as melhores tecnologias do mercado.

É dessa forma que o seu negócio terá acesso aos melhores benefícios oferecidos por essa solução. A desenvolvedora desse sistema deve levar em conta todas as características da companhia.

Por exemplo, o número de colaboradores, sua área de atuação, clima organizacional, objetivos, perfil de cliente, ritmo de trabalho, quantidade de setores e as informações corriqueiras.

Além disso, tanto para uma empresa de motoboy entregador quanto para qualquer outra, é necessário pensar a segurança do acesso e organizar um treinamento para todos os colaboradores, a fim de orientá-los quanto ao uso correto da ferramenta.

Conclusão

A tecnologia é uma verdadeira aliada das empresas e uma prova disso é o surgimento e desenvolvimento da intranet. Ela promove uma comunicação organizacional eficiente e que ajuda a atingir os objetivos da corporação.

Colaboradores bem informados e com acesso facilitado às informações realizam um trabalho de qualidade e são mais comprometidos com seu ambiente de trabalho.

Consequentemente, o clima organizacional melhora, atingindo o máximo em qualidade, bem como facilitando processos dentro da empresa. 

Em outras palavras, para fazer qualquer negócio crescer e conquistar espaço no mercado, usar a intranet é a melhor solução e a atitude mais inteligente. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

o que é Workflow
Dicas da QnaxEmpresasPequenos Negócios

Saiba o que é Workflow e como ele pode mudar o ambiente de trabalho

O workflow é uma técnica de organização do fluxo de trabalho, que pode ser muito útil para as melhorias em uma empresa, bem como a sua produtividade.

Por exemplo, empresas de instalação elétrica, por terem diversos contratos ao mesmo tempo, precisam definir padrões que facilitem todas as rotinas da empresa, desde o operacional até a equipe de gestão.

O termo em inglês refere-se especificamente a “fluxo de trabalho”, e é uma forma de organizar padrões e rotinas em todas as áreas da empresa para conquistar novos objetivos.

Muitas vezes, profissionais sentem-se sobrecarregados por conta da quantidade de atividades que exercem, e isso acaba gerando uma maior dificuldade na execução.

Neste caso, o workflow surge como uma alternativa viável de otimização, uma vez que toda a organização pode ser reestruturada de uma forma mais funcional, valorizando a produção.

O workflow é, portanto, uma forma de realizar o trabalho com uma cadência natural, etapas que são realizadas em sequência para chegar a um objetivo final. Isso pode ser realizado tanto sozinho quanto em grupo, dependendo da necessidade e da complexidade da ação.

Se parte do processo exige a compra de um notebook novo, por exemplo, é preciso que isso esteja definido em seu fluxo de trabalho para garantir um melhor resultado em sua fluência de tarefas.

Entretanto, uma tarefa em específico ou o conjunto de tarefas não deve ser confundido com este conceito, uma vez que o workflow é uma sequência de atividades, não trabalhos isolados.

Um bom exemplo de workflow pode ser apresentado na criação de conteúdo para um site ou blog de sua empresa, por exemplo:

  1. Redigir um artigo;
  2. Otimizar o texto;
  3. Realizar a revisão ortográfica;
  4. Fazer a publicação;
  5. Divulgar nos canais adequados.

 

Essa sequência de atividades acaba fluindo de forma natural, com uma etapa puxando a seguinte. Em algumas ações, o workflow pode ser mais complexo ou depender de outras pessoas, mas sua essência permanece a mesma.

Entretanto, existe uma diferença entre o workflow e o processo.

Um processo é uma sequência de atividades, que se dividem em diversas tarefas organizadas de maneira lógica, com um objetivo muito mais direto – entregar um produto ou serviço, tomar uma decisão, entre outras ações mais definitivas.

A ideia do workflow se relaciona com os processos, mas são diferentes porque o fluxo de trabalho é uma ferramenta organizacional que auxilia uma melhor execução dos processos. Por isso, embora estejam interligados, são conceitos diferentes.

Por que usar o workflow?

Existem uma série de benefícios que podem ser observados ao usar uma rotina de fluxo de trabalho em sua empresa. Primeiramente, é preciso destacar que, ao utilizar um workflow planejado e estruturado, você conseguirá reduzir – e muito – os custos de um processo.

Além disso, é possível diminuir os desperdícios apresentados ao longo do trabalho, uma vez que o fluxo permite uma otimização de tempo em cada uma das tarefas realizadas.

Uma equipe de gestão patrimonial pode começar a incluir o workflow em sua rotina, facilitando grande parte dos processos da empresa.

A produtividade também pode receber melhorias, com uma linha de trabalho mais eficiente e inteligente ao passar por cada etapa. Esse tipo de ação acaba sendo muito útil para otimizar os processos de sua empresa.

Além disso, o workflow permite que várias pessoas dentro de sua equipe compreendam como cada etapa funciona, possibilitando uma maior transparência na execução e no processamento das informações da produção.

Quanto mais as pessoas compreenderem todo o processo de trabalho e como utilizar o workflow para melhorá-lo, mais suporte sua equipe poderá obter entre si, melhorando não só a produtividade, mas também o trabalho em equipe e a colaboração.

Uma equipe unida é fundamental para alcançar um desempenho satisfatório, e isso é muito mais fácil de ser obtido quando todos estão trabalhando no mesmo tom.

Quando você consegue estabelecer um bom workflow em um determinado processo, é possível começar a se organizar para os próximos, de forma que todas as atividades da empresa possam ser otimizadas.

Mesmo empresas que lidam diretamente com o público podem se beneficiar de uma gestão mais fluida de seus processos, como uma escola particular infantil.

Assim, você consegue uma melhoria constante e visível em todas as áreas da empresa.

Como o workflow é utilizado?

O sistema do workflow pode ser dividido em etapas, todas fundamentais para alcançar os objetivos desejados pelo empreendimento. 

Para compreender como otimizar seu trabalho e tornar os processos mais fluidos, é preciso compreender cada uma delas e como aplicar corretamente.

1. Ad Hoc

A expressão, que vem do latim “para isto”, é utilizado aqui como uma ferramenta de conhecimento do processo. Aqui é definido a finalidade do workflow, onde conseguiremos identificar o porquê ele deve ser feito.

Se pensarmos em uma empresa de entregas rápidas que têm suas funções pré-definidas, ela poderá começar a planejar seu workflow a partir disto.

Nesta etapa é importante identificar que os trabalhos são mais simples, podendo ser alterados de acordo com a necessidade da empresa, criando uma base do que será realizado em todo o fluxo de trabalho.

2. Administração

Aqui temos uma etapa mais burocrática do processo. A administração é onde todos os procedimentos serão observados e organizados, permitindo que haja um controle maior sobre as etapas do workflow.

A administração é parte fundamental de um negócio, desde carimbo empresa a qualquer outro ramo do mercado, e deve ser levada em conta desde o início, uma vez que a administração é essencial para as etapas seguintes do fluxo de trabalho.

3. Produção

A produção é a etapa que pode ou não ter intervenção humana no processo. Isso porque muitos destes procedimentos podem ser repetitivos e, hoje em dia, a depender do tipo de trabalho, a força humana pode ser substituída por maquinário.

Ainda assim, é possível pensar em formas de otimizar esta etapa através da expertise de especialistas qualificados para um melhor resultado final.

4. Colaboração

Nesta etapa, é possível unir as diversas áreas de uma empresa e identificar quais destas áreas trabalham bem em conjunto, para diminuir o tempo de execução e estimular o trabalho em equipe de todo o empreendimento.

Todas as equipes de uma empresa podem estar reunidas em uma sala comercial pequena para delimitar quais áreas podem trabalhar melhor juntas, conquistando mais rapidez nos processos.

Embora o trabalho em grupo possa ser menos ágil que o trabalho singular, a união acaba diminuindo a quantidade de tempo que é gasto em um determinado processo, agilizando o plano geral e permitindo uma melhoria no fluxo do trabalho.

5. Transição

Aqui, as etapas de colaboração tomam um novo patamar. Alguns processos não podem ser feitos em conjunto, mas podem passar de uma unidade para outra para agilizar o processo e torná-lo mais fluido, garantindo uma maior confiança no trabalho sendo executado.

Esta etapa é fundamental para que o trabalho passe por diversas etapas sem se perder no processo, gerando ainda mais qualidade no workflow.

Benefícios do workflow

Empresas que possuem funções simultâneas costumam ser as mais beneficiadas pelo workflow, mas trabalhar corretamente o fluxo de trabalho de seu negócio traz diversas vantagens interessantes para o processo.

Inserir momentos de revisão nas ações da empresa, por exemplo, pode ser muito útil para reduzir erros e retrabalho. Isso porque, por mais capacitada e qualificada que seja sua equipe, erros humanos ainda são passíveis de acontecer.

Uma empresa que faz abrigo para botijão de gás precisa passar por uma série de etapas de segurança, e inseri-las no fluxo de trabalho permite mais agilidade nas análises.

Ao incluir a rotina de revisão no fluxo de trabalho, esse tipo de processo torna-se natural, facilitando a resolução de erros e reparos para os colaboradores, permitindo um trabalho mais dinâmico.

Além disso, os serviços tendem a se tornar mais eficientes a longo prazo. Quando o workflow começar a ser implantado em seu negócio, você começará a identificar as falhas e erros estruturais que podem estar atrasando sua produção.

Neste momento, então, o ideal é encontrar soluções para otimizar o trabalho, reduzindo custos e melhorando a produtividade da empresa como um todo.

Outro ponto importante para a produção de sua empresa é a comunicação. Falhas de comunicação podem acabar atrapalhando muito o processo de desenvolvimento, e o workflow surge como uma excelente ferramenta para identificar e modificar isso.

Profissionais que estejam alinhados com sua proposta de workflow conseguirão resultados muito melhores e adequados para o trabalho.

Afinal, estes saberão exatamente em que pontos devem aprimorar suas habilidades ou ajudar seus companheiros de equipe a encontrar a solução adequada.

Ensinar o trabalho também torna-se mais fácil, uma vez que você tem um fluxo a seguir. Isso porque as etapas parecem seguir de forma mais natural, e cada passo pode ser apresentado de forma saudável na empresa.

É importante ter esse tipo de experiência quando você precisar repassar as informações para um novo colaborador, ou quando alguém assumir um novo cargo dentro da empresa.

Por isso, é fundamental que você estude bem e busque informações para escolher o melhor formato de workflow para sua empresa, conquistando, assim, muito mais espaço e tornando-se uma referência e liderança em sua área de atuação no mercado. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.