Mulher anotando em agenda
Finanças

Como um cronograma de publicações pode ajudar o crescimento de uma empresa?

Todo mundo que lida com marketing de conteúdo sabe da importância de manter a frequência do trabalho e do engajamento do público. Mas, afinal, qual é o papel do calendário de publicações nisso tudo?

Certamente, um conteúdo ou uma campanha não podem ser gerados apenas com base na solução que vai ser proposta ao mercado, seja um serviço ou um produto. É preciso compreender a fundo o público-alvo, e os modos de impactá-lo.

Essa própria estratégia também precisa levar em conta outros fatores, como cada perfil da persona, a convergência entre aquele segmento e outros nichos transversais, a cultura organizacional e os diferenciais da marca, etc.

Sem falar, é claro, no funil de vendas. Afinal, se os conteúdos não levarem em conta o estágio em que cada lead se encontra, dificilmente o negócio vai conseguir gerar um engajamento real e contínuo, que torne a empresa sustentável.

Todos esses conceitos/métodos são essenciais para um bom planejamento. O qual, por sua vez, sempre acaba esbarrando na questão do cronograma de publicações, também conhecido como agenda ou calendário editorial.

Em um primeiro momento, pode parecer que planejamento “editorial” seja algo exclusivo de revistas e jornais, mas não é nada disso. Qualquer marca deve seguir esse método, seja para falar de livros, roupas, alimentação, fitness ou qualquer outro segmento.

Na verdade, até mesmo os autônomos e profissionais liberais precisam. O maior exemplo é o dos influencers digitais, que, embora possa parecer que às vezes postam apenas de maneira espontânea, mas na verdade é planejada.

Outro erro muito comum é pensar que uma metodologia dessas seja muito racional, e acabe tornando a participação nas redes ou blogs algo superficial, sem autenticidade. Mas esse também é um erro, por vários motivos.

O primeiro deles é que, obviamente, ter um calendário não significa a impossibilidade de fazer um ou outro post fora dele. Você pode publicar uma foto, aproveitar uma notícia de última hora e até compartilhar um imprevisto que aconteceu durante o dia.

O que não é possível é ficar à deriva, pensando sobre o que postar alguns minutos antes da publicação. Outro motivo é o de que racionalizar o processo torna a produção mais fluida, mais tranquila e, por isso mesmo, mais genuína.

Ou seja, não é na correria que o conteúdo fica bom ou “autêntico”, mas com planejamento. Então, se você quer compreender como o cronograma pode ajudar nisso e no crescimento digital da sua marca, é só seguir adiante na leitura.

Por dentro do planejamento editorial

Como vimos, o calendário nada mais é do que uma etapa ou parte integrante do planejamento editorial, que é muito mais abrangente. Considerar a diferença entre ambos é o primeiro passo fundamental, para evitar confusões e dispersões desnecessárias.

Se uma loja que vende tornozeleira feminina ouro decide postar conteúdos sobre suas joias, o primeiro esforço deve ser o de fazer um plano de marketing digital. Essa etapa inclui diversos setores do negócio e várias expertises diferentes.

Depois de amadurecido o planejamento, alguns desses esforços já não vão fazer parte da estratégia do calendário. Como, por exemplo, as definições das métricas e modos de mensurar os resultados, que geralmente ficam a cargo de outra equipe.

Já outros pontos do planejamento farão parte integrante da agenda, inclusive no sentido de que a mesma equipe ou as mesmas pessoas é que vão participar do trabalho. Como na definição sobre quais redes, mídias ou canais serão utilizados.

Mais um ponto convergente: o das ferramentas que serão utilizadas, especialmente no sentido de automatizar as postagens. 

Lembrando que programas que automatizam curtidas e seguidores, burlando o sistema, não são bem-vindos pelas plataformas.

Ademais, se o seu canal divulga o trabalho de parceiros, o planejamento precisa alinhar o time do calendário com o do comercial. Assim, para saber quantos posts sobre os doces finos para aniversário vão precisar subir, a agenda necessita de alguns subsídios.

Por isso, é comum, nesses casos, o pessoal do comercial trabalhar junto com o do marketing. Isso também vai ajudar quando o assunto for a persona do público, para definir questões como horário, quantidade e repetição de postagens.

O que não pode faltar no cronograma?

Antes de aprofundarmos alguns detalhes técnicos, é preciso falar de modo estrutural sobre aquilo que não pode faltar em nenhum tipo de agenda/cronograma editorial, seja qual for o tipo de postagem ou mesmo de produto em questão.

O primeiro ponto mais evidente é o das datas e horários de publicação. Realmente, postar algo sobre plotagem para porta de vidro pode ser bem diferente de postar algo sobre jornalismo, política e opinião pessoal.

Em um caso, o resultado seria melhor em horários não comerciais, como pela manhã, no almoço ou após as 18h. No segundo caso, uma novidade pode exigir que a postagem seja feita no meio da tarde, sob riscos de perder o timing.

O importante é saber que, mesmo no caso de haver imprevistos, é preciso ter um calendário fixo das datas e horários das postagens principais. 

Elas podem ser semanais ou mesmo diárias, esse é outro ponto que cada marca aprende com o tempo.

Se a equipe for maior, não pode faltar a delegação do nome da pessoa responsável pelas interações, ou ela perderia o controle após a publicação. Além disso, é preciso considerar o status da produção, considerando-se, portanto, cinco etapas essenciais:

  1. Produção do conteúdo;
  2. Aprovação do post;
  3. Agendamento do conteúdo;
  4. Publicação do post;
  5. Acompanhamento e interações.

Por exemplo, no caso de uma escola particular infantil, pode haver épocas do ano com excesso de interação, como nos meses de matrícula. Daí a importância de diferenciar as etapas entre quem produz, quem programa e quem dá todo o suporte posterior.

É claro que já existem programas e softwares que contribuem muito para essa rotina. Vamos tratar deles ao fim, mas é preciso ter em mente, desde já, que a estruturação do cronograma e o alinhamento das equipes independe de automações.

Sobre as vantagens e os benefícios

Até aqui já deve ter ficado claro que os benefícios e vantagens de desenvolver um cronograma de publicação não são poucos. Como se sabe, hoje em dia o crescimento nas redes é uma condição para o crescimento da própria marca.

Além disso, organicamente esses fatores ajudam a criar oportunidades. Ou seja, ao obter sucesso nas ações digitais sobre extintor automotivos, você gera mais leads, mais prospects, mais vendas e, por consequência, mais rentabilidade e lucratividade.

Se a venda sempre foi a alma de qualquer negócio, hoje podemos dizer que o marketing digital é que representa esse papel. Assim como o cronograma faz parte essencial dessa dinâmica, a começar pela quantidade e pela qualidade.

A quantidade de postagens deve aumentar, já que você terá semanas ou mesmo meses de antecedência para pensar em pautas e assuntos pertinentes. Então já faça sua agenda com isso em mente: aumentar a quantidade de publicações.

A qualidade segue a mesma lógica, no sentido de que você vai poder desenvolver melhor seus conteúdos, e até mesmo revisá-los com mais paciência. Também assim, você já não vai cometer erros, como fazer publicações duplicadas em suas redes.

No caso de um blog sobre aula de natação para iniciantes, por exemplo, isso pode ser ainda mais importante. Afinal, desenvolver várias páginas explorando a mesma palavra-chave principal pode ser ruim para o SEO, então o cronograma evita isso.

Outra vantagem estratégica é recordar-se de que toda marca tem dois ou três perfis de persona. Logo, é preciso distribuir muito bem os conteúdos, de modo que levem em conta não apenas o funil de vendas, mas também o visitante que vai ser visado.

Quais plataformas eu devo utilizar?

Os programas dependem, em grande medida, das plataformas de publicação. Quando o assunto são os blogs, a plataforma mais conhecida é a do WordPress, que já tem um sistema de cronograma integrado, facilitando muito o serviço.

Além disso, ele e outras plataformas similares integram a questão das palavras-chave. Se você utilizou o termo catraca para academia como palavra primária, pode utilizá-la como secundária em outros posts, por indicação da plataforma.

Quando se fala em redes sociais, tanto as plataformas de postagem quanto os programas de automatização são em quantidade bastante diversificada. 

Cada negócio deve saber em qual rede social precisa focar os esforços, por exemplo:

  • Para textos curtos ou longos: Facebook e Twitter;
  • Para mensagens instantâneas: WhatsApp e Telegram;
  • Para fotos e imagens: Instagram e Pinterest;
  • Para vídeos e músicas: YouTube, TikTok, entre outras.

Também há opções mais nichadas, como para o mundo corporativo (Linkedin e Bebee são as maiores). Elas podem ajudar uma empresa terceirizada motoboy a fazer vários contatos e até mesmo contratar mais colaboradores para seu negócio.

Atualmente, todas essas plataformas costumam ter uma sessão de tipo “Estúdio Profissional”, focado justamente em automatizar as publicações e fazer a agenda editorial funcionar melhor.

Com isso, vemos como um cronograma bem feito pode ajudar e muito no crescimento de uma empresa, tanto para resultados imediatos quanto de médio e longo prazo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leave a Reply

O email foi ocultado.