✓ Especializados em Data Center

Subscribe & Follow

Dicas da Qnax

O que é Computação em Nuvem? Guia Completo!

Você sabe o que é cloud computing, ou melhor dizendo em bom português “computação na nuvem”?

De forma resumida, a locação na nuvem nada mais é que o uso de serviços e recursos computacionais através da internet.

Aí entra aquela pergunta: “Por que eu preciso saber sobre cloud computing?” – Você já deve ter ouvido falar um pouco sobre os conceitos de “nuvem” no ramo da informática, mas talvez ainda não esteja certo de que essa é uma necessidade real para você e como isso pode melhorar os seus negócios.

Por isso, nós da Qnax – Servidores Dedicados no Brasil trazemos a você esse guia completo sobre tudo aquilo que todas as pessoas devem saber sobre uma computação em nuvem: O que é, quais os tipos, os benefícios dessa tecnologia e como você pode fazer para aplicar esse conceito de forma eficiente na sua vida, na empresa em que você trabalha ou no seu negócio.

Quer saber mais?

Continue nesse texto que vamos te contar tudo!

Infográfico explicativo da Computação em Nuvem

O que é Cloud Computing?

Como já dissemos na introdução desse texto, o conceito da computação em nuvem pode ser simplificado como sendo o uso de serviços e recursos computacionais por meio da internet.

O conceito de “ nuvem ” é basicamente isso – O conceito de usar a capacidade computacional da máquina, você usará a capacidade, a memória e o processamento de outros servidores que podem estar em praticamente qualquer lugar do globo terrestre.

Falaremos dos benefícios desse tipo de tecnologia um pouco mais adiante num tópico específico para isso, mas já adiantamos para você um deles – Ao usar uma nuvem para armazenar, processar ou executar os seus arquivos, você ganhará muito em fatores como segurança, velocidade e velocidade na diminuição de riscos. Já existe depender simplesmente da sua máquina e no caso dela parar de funcionar todo o setor da sua empresa ser prejudicado por isso? Em 2020 não dá mais né?

Como funciona o conceito de Cloud Computing?

Conceito do cloud computing

Além de saber o que é o Cloud Computing, você deve também querer saber mais sobre o funcionamento dele, certo?

O conceito de fundamentação na nuvem é bastante amplo e já utilizado desde os anos 2000, mas se popularizou nos anos pela melhoria nas condições de infraestrutura na internet e o surgimento de muitas empresas no setor.

O funcionamento básico ocorre da seguinte maneira:

  1. Existe um servidor remoto que irá conectar um dispositivo (ou vários dispositivos) utilizados pelas pessoas e empresas a recursos centralizados – Estes recursos podem ser programas, softwares ou até mesmo hardwares que podem ser utilizados para realizar o armazenamento de dados.
  2. Estes servidores podem estar ligados em praticamente qualquer lugar do mundo – Como a comunicação pela internet é quase instantânea, isso não trará nenhuma diferença no seu uso.
  3. Ao contratar um serviço de computação em nuvem, você estará fazendo uma contratação pelo uso de toda esta estrutura, além do suporte e atualizações.

 

Quais são os tipos de arquivo em nuvem?

Apesar do conceito de cloud computing ser bastante específico – A utilização de serviços e recursos por meio da internet, alguns tipos de base na nuvem. Quer saber quais são?

Nuvem Pública 

O primeiro tipo de computação em nuvem que vamos falar nesse texto é também um uso mais usado – A Nuvem Pública.

Ela tem esse nome porque os seus recursos são utilizados por várias pessoas ao mesmo tempo, normalmente com o compartilhamento de dados e informações sendo feitas a todo momento e com a consciência do usuário.

O provedor faz a utilização da internet para deixar os recursos à disposição dos clientes e cada um fará os acessos com os recursos que contrataram no momento do fechamento do negócio.

Esse é o tipo de nuvem mais barato disponível tanto para o consumidor quanto para quem presta o serviço.

É bastante atribuída para aquelas empresas que não podem fazer um investimento maciço em cloud computing ou para aquelas que utilizem para tarefas rotineiras e que não precisem adquirir grandes recursos e sistemas.

 

Nuvem Privada 

Este é o tipo mais caro entre os três tipos de nuvens pois envolve uma estrutura mais robusta e mais dedicada à realização de cada tarefa.

As nuvens bloqueadas são definidas de acordo com a necessidade de cada cliente e são sistemas fechados onde só pessoas da sua empresa ou deseja acesso. O compartilhamento de dados e informações é totalmente restrito e controlado .

Esse tipo de serviço só pode ser prestado por empresas que escolhidas de acordo com rígidos padrões de segurança e privacidade de dados . Em caso de empresas europeias, há ainda mais certificações exigidas pela União Europeia quanto ao gerenciamento e gestão dos seus dados.

Este é um tipo de nuvem muito apropriada para negócios que envolvem a utilização de dados particulares – Nisso podemos incluir instituições, governamentais ou que prestem serviços para essas organizações.

Ao prestar serviços para alguns bancos, por exemplo, eles podem exigir que você tenha certificados sobre a segurança dos dados e informações particulares – E isso só será possível com um serviço de servidor em nuvem adequado e numa empresa que preste bem esse serviço ..

Nuvem Híbrida 

Como você já deve estar pensando, essa é uma junção dos dois mundos – nuvem privada e nuvem pública. Por esses motivos, uma nuvem híbrida acaba sendo uma escolha de muitas empresas – Ao unir o público compartilhamento de dados com aplicativos , como o caso da nuvem com a possibilidade de utilização de recursos privados e com segurança reforçada.

Esse tipo de cloud é atribuído para empresas e instituições queiram receber a computação em nuvem com o melhor custo benefício , sem abrir mão de fatores fundamentais como o sigilo de informações e dados .

 

Tipos de serviços de Cloud Computing

Modelo de Serviços da Computação em nuvem
Modelo de Serviços da Computação em nuvem

Além da categorização em nuvem pública, nuvem privada e nuvem híbrida, uma Cloud Computing pode ser dividida também em tipos de serviços. Por isso mesmo listamos nós abaixo os principais tipos de serviço para que possamos ajudar você a entender qual é o melhor modelo para sua empresa.

Infraestrutura como Serviço (Infraestrutura como serviço – IaaS)

Esse é um modelo que utiliza os recursos de infraestrutura como um serviço na nuvem.

Nesse caso você estará fazendo uso de equipamentos como servidores, datacenters, racks, roteadores e transmissores de informação e dados . Esse tipo de serviço é indicado para empresas que precisem fazer bastante transmissão de dados e informações, bem como o armazenamento de dados em servidores na nuvem.

Os custos desse tipo de produto variam de acordo com a capacidade necessária – Se você precisar fazer muito armazenamento e muita transmissão de dados é justo que você pague mais por isso. Entretanto, como falaremos um pouco mais abaixo nesse texto, os custos ao contratar um serviço de cloud são bem menores do que se você mantivesse esses equipamentos ligados diretamente na sua empresa.

Entre as vantagens desse modelo está o fato de que não é necessário contratar uma franquia de maneira específica – Você pode usar tudo de acordo com a demanda da sua empresa, sem haver prejuízos em meses de menos utilização ou altos custos de expansão em caso de aumento repentino da capacidade.

Em resumo, você só gosta pela capacidade que você ou a sua empresa consumirem.

 

Plataforma como serviço (Platform as a Service – PaaS)

Por outro lado, a utilização do sistema de “ Plataforma como Serviço ” funciona de maneira diferente, onde você utiliza as plataformas da empresa de computação em nuvem para realizar o aprimoramento e modificações dos seus sites, softwares e aplicativos.

Nessas plataformas incluem-se sistemas operacionais, recursos para gerenciamento de sistemas, serviços de Business Intelligence (BI), entre outros.

Um exemplo das vantagens do uso das “Plataformas como Serviço” podem ser mostradas da seguinte forma:

Imagine que você tem um site ou aplicativo e acaba perdendo muito da sua produtividade através da resolução de problemas referentes à gestão administrativa, atualizações, correções e manutenções periódicas.

Ao terceirizar essas tarefas repetitivas para as plataformas de computação em nuvem é bem provável que você consiga ter um ganho enorme em agilidade, além de uma redução de custos.

Se você usar um serviço de plataforma como serviço, você ainda terá um aumento incrível com relação à produtividade de sua empresa, pois ela passará a gerenciar e se concentrar apenas no fato importante, deixando de lado questões secundárias.

Software como serviço (Software as a Service – SaaS)

Por fim, o terceiro tipo de serviço existente na nuvem é o Software como serviço. Esta modalidade permite a utilização de recursos de software de maneira on-line sem que eles obriguem a instalar na máquina (e às vezes até mesmo sem a necessidade de compra de uma licença definitiva).

Neste caso, você pode utilizar dos softwares mesmo que o seu computador pessoal não tenha uma capacidade computacional para realizar tais tarefas.

Existem casos de softwares de engenharia, por exemplo, extremamente pesados ​​devido aos recursos gráficos e cálculos avançados base nesse tipo de programa.

Nesses casos, o que muitas empresas do setor têm feito de maneira inteligente é fornecer a utilização de seus servidores para a realização de algumas tarefas mais complexas e pesadas.

Ao fazerem isso, elas trazem maior facilidade ao usuário (que não precisa de computadores robustos para trabalhar) e ao mesmo tempo ganham novas possibilidades de renda ao cobrarem um valor para que os servidores façam esse trabalho por você.

Quais são os principais benefícios do Cloud Computing

Imagem explicativa dos benefícios de uma computação na nuvem .

Como já citamos, a fator em nuvem já é hoje uma realidade e trabalhar com eles cada vez mais têm-se tornado muito mais que vantagem, mas também uma necessidade de adaptação a novos tempos.

Entre os fatores-chave que podem ser destacados como bons benefícios desse modelo da computação em nuvem, podemos destacar os seguintes:

  • Aumento na segurança
  • Melhoria no desempenho
  • Redução de Custos de Expansão
  • Redução dos Custos de Manutenção
  • Diminuição do uso de espaço físico
  • Aumento da Eficiência
  • Maior liberdade geográfica
  • Flexibilidade na gestão dos recursos

 

Falaremos um poucos sobre essas vantagens de forma mais detalhada nos itens abaixo:

Aumento na Segurança

Um dos principais fatores levados em consideração pelas pessoas que pretendem contratar um serviço de computação em nuvem certamente é o aumento da segurança.

Essa segurança pode ser tanto do ponto de vista do armazenamento de dados (que estava alocados em mais de um servidor para que existam cópias de segurança e você não perca os seus dados) quanto de outros fatores como as proteções contra cibernéticos.

Pelo fato de lidarem o tempo todo com arquivos de clientes e estas muitas vezes sejam confidenciais ou extremamente importantes ou urgentes, como empresas que prestam serviços de base na nuvem num geral são bastante preparadas para a contenção de dados cibernéticos , evitando-se assim como fatores como roubo de dados, espionagem e invasão de sistemas tecnológicos particulares.

 

Melhoria no desempenho

Outro fator que é bastante levado em consideração no momento da contratação de serviços de computação em nuvem é uma melhoria no desempenho em relação ao modelo computacional tradicional.

Por promoverem a utilização de máquinas preparadas e construídas com essa base, a tecer em nuvem faz com que os processos sejam feitos de maneira podem mais rápida e eficiente – O que depende do setor e da empresa aumentar e muito a produtividade.

Se você ainda tem um servidor físico na sua empresa, deve considerar de forma importante sobre os riscos que você corre ao utilizar-lo e além disso no tempo que você pode estar gastando sem necessidade com as tarefas que um computador deve fazer para você.

Redução de custos de expansão

Se você é gestor de algum negócio – Seja ele físico ou on-line, já deve ter passado pela seguinte situação.

“Preciso expandir a capacidade da minha empresa, mas não tenho dinheiro para investir em máquinas que não são prioritárias à atividade-fim dela.”

Felizmente, esse é mais um fator que o uso da nuvem pode trazer soluções para o seu negócio.

Por que você deveria comprar mais máquinas e servidores, se pode simplesmente fazer uma migração de plano na empresa que você contratou para esta especial?

Além da economia financeira que esse tipo de estratégia pode fazer no seu negócio, não podemos esquecer de um outro benefício…

Custos de manutenção? Esqueça!

Como dizia o Julius de “Everybody odeia Chris”: “Se eu não comprar, o desconto é maior”.

Da mesma forma, adaptar podemos esse conceito para a computação em nuvem: “Se eu não tiver um servidor físico, o custo é menor” .

As manutenções e atualizações dos sistemas normalmente já estão inclusas no pacote e ficam a cargo da empresa de cloud server que você contratou – Ou seja, esses custos são boas opções do que você pode tirar da linha de despesas do balancete mensal ou anual da sua empresa …

Diminuição do uso de espaço físico

Assim como eu, você sabe – O m² de terrenos e edificações – sobretudo em grandes cidades – está cada vez mais caro e adquiri-los (ou alugá-los) traz custos cada vez mais consideráveis ​​na hora de fazer uma análise “na ponta do lápis ”.

Se você precisar ter um espaço dentro da sua empresa dedicado exclusivamente para abrigar os seus servidores e máquinas, você terá um custo e uma ociosidade de espaço importante.

Além disso, terá custos constantes com a manutenção, refrigeração e limpeza do espaço.

Sendo assim, talvez seja hora daquele “cômodo dos servidores” ser substituído por um servidor de nuvem e assim você ganhar um espaço dentro do seu próprio imóvel para utilizá-lo em outras coisas mais importantes no momento.

Liberdade Geográfica

Mais um dos fatores em que a computação em nuvem ganha de lavada dos modelos anteriores – Pelo fato de estarem longe de você, mas perdida com o uso da internet, você pode ter o acesso aos dados e informações de forma muito mais prática e tranquila .

Isso pode facilitar também o trabalho remoto (ou home office) que ganhou bastante espaço pelas necessidades trazidas na pandemia de Covid-19.

Muitas empresas acabaram tendo que reformular a forma de trabalho nesses tempos e muitas das funções só puderam ser exercidas em home-office devido ao uso de bons servidores em nuvem.

Traz flexibilidade na gestão dos recursos

A eficiente gestão dos recursos em qualquer empresa mostra-se cada vez mais como uma importante

Concluindo … O Cloud Computing traz um excelente ganho de eficiência para sua empresa.

É claro que todos os itens anteriores serão sintetizados em uma palavra muito buscada pelos gestores: eficiência .

A eficiência geral trazida pela utilização da computação em nuvem é muito grande pois permite que sua empresa utilize as estruturas otimizadas de outras empresas e a sua responsável por fazer apenas o trabalho ao qual se propõe.

Com servidores em nuvem você pode economizar em tempo, espaço e dinheiro – Ou seja, não há porquê de não contratar um serviço de computação em nuvem.

 

Cloud no brasil

A utilização de serviços de cloud no Brasil já é bastante satisfatória, mas ainda há algumas dúvidas importantes quanto aos serviços que você pode contratar de empresas brasileiras com data centers adquiridos no Brasil – isso trará muita segurança e maior conhecimento para você 🙂

Nós, da Qnax estamos prontos para oferecer a você diversos produtos que vão atender às expectativas do seu negócio a um preço justo e com o melhor suporte que você irá encontrar no mercado.

 

Serviços de cloud prestados pela Qnax

INCOMPARÁVEIS!

Os nossos planos de cloud VPS (Nuvem Privada), são para você e para a sua empresa os melhores recursos e o melhor desempenho, entregando a você a melhor relação custo-benefício na melhor infraestrutura do Brasil

 

Fornecemos uma virtualização de alta performance para plataformas Linux ou Windows Server . Temos um Data Center no Brasil, em São Paulo e com preço acessível.

 

Confira alguns de nossos produtos e preços:

CLOUD 1 – Por R $ 69,95 / mês você tem acesso a:

CPU Intel Xeon

1GB Memória Ram

50GB Espaço SSD

Painel de Controle

1 Gbps de Uplink

Tráfego ilimitado

IPv4 e IPv6 Dedicado

Ativação Imediata

CLOUD 2 – Com R $ 99,95 por mês você tem acesso a

2 vCPU Intel Xeon

2 GB Memória Ram

50 GB Espaço SSD

Painel de Controle

1 Gbps de Uplink

Tráfego Ilimitado

IPv4 e IPv6 Dedicado

CLOUD 3 – Com R $ 159,95 por mês você tem acesso a:

2 vCPU Intel Xeon

2 GB Memória Ram

50 GB Espaço SSD

Painel de Controle

1 Gbps de Uplink

Tráfego Ilimitado

IPv4 e IPv6 Dedicado

Ativação imediata

CLOUD 4 – Com R $ 269,95 por mês você tem acesso a:

4 vCPU Intel Xeon

8 GB Memória Ram

50 GB Espaço SSD

Painel de Controle

1 Gbps de Uplink

Tráfego Ilimitado

IPv4 e IPv6 Dedicado

Ativação imediata

Em todos os casos, o licenciamento do Windows Server Standard já está incluído no plano.

Estes planos não são indicados para plataformas de negociação 

Caso este seja um produto de interesse para você recomendamos o Cloud Trader, que você pode conhecer clicar AQUI [ https://qnax.com.br/cloud-trading ]

 

Planos Avançados

Se estes recursos ainda são pouco para você, você pode contratar ainda mais capacidade e completar a ativação em até 24h.

Estes são os nossos planos avançados

Gostou do conteúdo? Conte pra gente nos comentários e nas nossas redes sociais: qual é a sua maior dúvida quando você pensa em cloud e servidores dedicados? Quem sabe nosso próximo post não resolve a sua dúvida, hein?

 

Veja também :

Servidor Avançado do Free Fire: e algumas atualizações

GUIA COMPLETO : Como Escolher um Provedor e Como Acessar seu Servidor de Cloud

 

 

 

programar pelo Linux
Dicas da QnaxPlataformas

Por que programar pelo Linux?

O sistema Linux divide a atenção e preferência de usuários e programadores ao redor do mundo. Ele é considerado mais rápido, seguro e estável em comparação a outras opções, como no caso do próprio Windows.

Quem não entende muito do assunto pode achar que não existe muita diferença, o que não é verdade. E podemos notar isso devido ao crescimento contínuo do Linux ao redor do planeta.

Muitas pessoas estão migrando para ele – e isso não é sem razão. Trata-se de um sistema operacional gratuito, seguro e mais robusto do que os demais.

Tanto usuários quanto programadores precisam ter um autoconhecimento sobre as características desse sistema para que possam escolhê-lo de maneira consciente.

Os computadores fazem parte do nosso dia a dia, tanto em casa quanto no trabalho, e quanto mais rápido e prático de usar, melhor.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o que é Linux, por que ele é mais indicado para os programadores e quais são as suas vantagens.

Se você tem dúvidas a respeito do assunto, leia este texto até o final. Assim, você fica por dentro deste incrível sistema operacional e pode garantir o melhor para sua máquina. Confira!

Entenda melhor sobre o que é Linux

Linux é um sistema operacional, assim como Windows e MacOS. É por meio dele que programas e outros dispositivos são executados. Ele também é distribuído livremente e permite que seus usuários o modifiquem.

Este conceito é mais abrangente, mas se formos a fundo na questão, podemos dizer que seu nome verdadeiro é Kernel. Trata-se de um conjunto de instruções que controla todo o uso do processador, bem como discos periféricos, memória e o próprio disco.

É importante saber disso porque se você comprar um computador novo, saberá que é o sistema operacional que decide como a máquina vai funcionar.

Esse sistema foi lançado em 1991 e criado por Linus Torvalds. Contudo, sua utilidade não é simples, visto que se faz necessário instalar programas adicionais para que possa ser usado.

Exemplos disso são os interpretadores de comando, que permitem o desenvolvimento de novos programas, como no caso dos editores de texto. O Linux é um software livre desde 1992, quando Linus Kernel aderiu à licença GLP.

Para que pudesse ser desenvolvido e usado por pessoas e organizações, como no caso das empresas de instalação elétrica, contou-se com a participação de milhares de desenvolvedores.

Por isso, atualmente, ele pode ser usado pelos mais variados tipos de dispositivos, o que faz com que esteja em todo lugar.

Podemos usar como exemplo os roteadores de internet e os codificadores de TV a cabo. Além disso, boa parte da internet que conhecemos hoje é sustentada por esse sistema e outras soluções GLP, como:

  • Web Apache;
  • Programação PHP;
  • DNS Bind;
  • Javascripts;
  • Entre outros.

Todos esses são executados em sistemas Linux, formando a internet como conhecemos hoje. O Facebook é outro exemplo, assim como softwares de armazenamento em nuvem usados por empresas diversas, por exemplo uma que preste o aluguel de sala reunião.

Isso acontece porque o meio digital pede o uso de softwares livres, o que tornou o Linux peça inquestionável nesse universo.

Para os profissionais de informática, mesmo aqueles que se especializam em uma ferramenta proprietária, acabam se deparando com o Kernel em algum momento.

Principalmente no caso dos programadores, e é sobre isso que vamos falar no tópico a seguir. Continue a leitura e confira!

Por que o sistema é indicado para programadores?

O Linux é um sistema operacional muito popular entre os programadores, administradores e desenvolvedores de servidor. Mesmo assim, quem está se inserindo agora nessa área não tem noção do poder e da flexibilidade dele. 

Com isso mente, vamos mostrar por que esse sistema operacional é indicado para programadores:

Fácil personalização

Existem diferentes opções de software para esse sistema. Um navegador ou, até mesmo, um processador de texto podem ser alterados de acordo com a escolha do programador.

Também é possível decidir quanto ao modo de exibição do sistema e qualquer componente de interface de audio focusrite e muitos outros, visando melhorar a experiência do usuário.

O objetivo é permitir que desenvolvedores usem programas pequenos, mas que ajudem na execução perfeita do trabalho.

Fonte aberta

Por ser um sistema de código aberto, o programador pode contribuir com o código fonte usado em sua criação.

Isso quer dizer que é possível criar sua própria versão do sistema, ajudando em áreas estratégicas e especializadas.

Fácil atualização

Tudo com o Linux é mais simples, como a gravação de áudio e outras necessidades. Isso porque as atualizações nesse sistema operacional são mais fáceis.

Pelo fato de que a distribuição desse sistema tem um repositório central de software, o programador se sente mais seguro.

Tendo todas as atualizações facilmente disponibilizadas, o Linux pode ser atualizado, sem que para isso seja preciso reinicializá-lo.

Os usuários também conseguem automatizar a atualização, consumindo menos armazenamento de dados da internet durante esse processo.

Sem restrições

Esse sistema operacional não tem restrições, ou seja, não é necessário esperar a atualização de algum recurso ou, até mesmo, um patch de segurança.

O Linux é um sistema bem estável e que não está tão sujeito a problemas advindos de malware e vírus.

Fácil de configurar

Se você precisa programar um sistema de segurança residencial controlado por um software, por exemplo, consegue obter todo o respaldo do Linux.

Esse sistema é estruturado em camadas, que são Kernel, hardware, IO e UI, sendo que todas elas são configuráveis. Então, se o funcionamento não está de acordo com o que você deseja, é possível fazer as alterações necessárias.

Para isso, não é necessária uma interface gráfica de usuário para interagir, portanto, você pode usar apenas linhas de comando.

Esse sistema permite ser totalmente ajustado, para que o usuário aproveite todas as suas possibilidades, podendo modificar o código fonte ou criar o seu próprio.

Veja quais são as vantagens para os usuários

Não apenas programadores, mas também usuários têm no Linux uma série de vantagens. Um exemplo disso é a sua alta estabilidade, que garante seu funcionamento por anos, sem nenhum tipo de problema de funcionamento.

Isso é bom para as pessoas, mas principalmente para as empresas, como uma de automação de casa, pois um sistema operacional estável não apresenta riscos de perda de dados importantes e confidenciais.

Raramente é necessário realizar algum reboot no Linux, pois a maioria das mudanças nas configurações pode ser feita enquanto a máquina está ligada.

Outra vantagem que atrai cada vez mais adeptos desse sistema é a sua alta segurança. E isso diz respeito tanto ao servidor quanto ao desktop.

Isso acontece porque qualquer alteração nesse sistema operacional precisa ser aprovada pelo usuário root, um tipo de controlador especial do Linux.

Em outras palavras, há menos riscos de ser afetado por um vírus ou ser atacado por um programa malicioso instalado no computador. Tudo só poderá ser adicionado ao seu sistema se você autorizar por meio de nome de usuário e senha.

O Linux é mais leve, rápido e flexível, além de rodar perfeitamente em praticamente qualquer computador. Independentemente de modelo ou processador, é possível instalar esse sistema, inclusive versões mais leves em computadores mais antigos.

No caso das empresas, como uma fabricante de interruptor de luz, esse sistema pode ser reconstruído, tendo suas configurações modificadas para manter apenas os serviços que realmente são necessários.

Outra vantagem para os usuários é a liberdade de poder alterar o código fonte para que o sistema tenha as características necessárias, atendendo às necessidades de cada um.

Por fim, estamos falando do sistema operacional de menor custo. Isso porque tanto o Linux quanto os programas que o acompanham são softwares livres.

O usuário pode copiar e instalar o sistema livremente, sem que precise comprá-lo ou correr atrás de licenças, além de não correr o risco de pagar multa por usar versões falsificadas.

Existem diversas distribuições do Linux, sendo que várias empresas famosas, dos mais variados setores, fazem uso dele, como no caso do próprio Google.

Conclusão

O sistema operacional do seu computador é parte importante do funcionamento dele. Por isso, é importante que você escolha aquele que atende melhor às suas necessidades e expectativas.

O Linux possui todos os recursos necessários para um uso diário e livre de programas, portanto, está caindo nas graças de um número cada vez maior de usuários, o que inclui grandes empresas.

É uma forma de moldar a sua máquina de acordo com o que você precisa, de maneira segura e sem prejudicar seu funcionamento.

Então, se você busca mais autonomia em seu sistema operacional, deve considerar o Linux como a melhor opção do mercado e que vai otimizar todo o seu computador.    

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

MAC x Windows
Dicas da QnaxPlataformas

MAC vs Windows: Entenda a vantagem de cada sistema

Para os amantes de informática, um sistema operacional diz mais sobre um aparelho eletrônico do que seus fatores externos. No mercado, os mais populares, Windows e Mac, seguem como os preferidos em stand feira, e mais úteis sistemas de execução de tarefas.

Cada um apresenta suas particularidades, que podem trazer (ou não) benefícios para seus usuários, trazendo então uma forte competição no mercado. Conheça neste texto qual o melhor sistema para você, tanto para uso pessoal, quanto profissional. Acompanhe!

O que é um sistema operacional?

Antes de começar a entender qual sistema operacional é o mais adequado para a sua necessidade, é preciso saber o conceito do que é um sistema, bem como suas funções e suas particularidades.

Um sistema operacional funciona como um executor de tudo o que vai funcionar em um notebook novo, computador, aparelho celular ou em outros tipos de dispositivos tecnológicos. Esse sistema é a base de tudo o que desejamos trabalhar dentro dele.

Por isso, é um fator determinante para as respostas que o computador dá diante de determinadas ações que desejamos. Esse sistema é decisivo para a capacidade da execução dos hardwares, responsáveis por produzirem tarefas.

Alguns exemplos de tarefas são: execução de jogos, processamento de dispositivos, abertura de páginas na internet, download de arquivos e muitas outras funções que podemos usar em um computador.

No entanto, dependendo do tipo e local de uso, os sistemas operacionais podem ser programações distintas. 

Um sistema operacional em um computador de uma clínica veterinária popular, por exemplo, com certeza será menos potente do que aquele que funciona em empresas de grande porte. 

No primeiro exemplo, é possível que o usuário não tenha tantas demandas para serem executadas naquele computador, ou talvez os programas não sejam tão pesados de carregar. Já em grandes centros de pesquisa, o oposto geralmente pode acontecer.

Em meio a isso está inserida a experiência do usuário, que é tido como o comandante destas ações. 

Dependendo do sistema operacional e da estrutura interna do aparelho sendo utilizado, é possível que o equipamento possa não funcionar da melhor e mais rápida maneira.

Uma outra característica de sistemas operacionais distintos é a diferença entre suas interfaces. Cada um apresentará um visual ou painel de comando de ações diferente, algo que pode ser alinhado com a expectativa de cada pessoa, de acordo com a função.

Windows e Mac: os queridinhos do mercado

Entendendo melhor o que são sistemas operacionais e quais suas funções principais, um usuário com prioridades voltadas para usos de sistemas de fácil acesso, tanto em uma forma financeira quanto de execução, geralmente escolhe um Windows ou um Mac.

Conheça melhor cada um deles a seguir:

Windows

O Windows, criado pela empresa americana Microsoft, teve sua primeira versão lançada no ano de 1985, comercializando o PC (ou Personal Computer), uma das representações do populismo dos computadores.

A interface, imortalizada pelos Windows, ou “janelas” em português, trazia inúmeros programas que facilitam rotinas e atividades, principalmente aquelas relacionadas ao trabalho e estudos, como no caso dos Word, Excel, Powerpoint e muitos outros.

A Microsoft foi, de certa forma, a primeira e mais popular empresa que possibilitou a utilização em massa de aparelhos computadores em todo o mundo,  afinal, o sistema operacional Windows pode ser utilizado em aparelhos de diversas marcas.

Hoje, o sistema operacional continua sendo considerado líder de uso no mercado, justamente por essa facilidade e liberdade de ser executado em diferentes marcas de tecnologias. 

É por conta de seu pioneirismo que foi sendo utilizada como molde para outros grandes sistemas.

Mac

O sistema operacional Mac OS X (ou simplesmente Mac) revolucionou toda a história na indústria de computadores, justamente por trazer modernidade, velocidade e estética em um só aparelho, bem como produtos da marca, com o mesmo processador.

Lançado no mesmo ano que a Microsoft, o sistema operacional Mac, criado pela Apple foi pensado para dispor de uma arquitetura de programação, dentre peças e hardwares, que estabelecem um processamento e uma utilização fantástica do aparelho.

A velocidade e facilidade em acessar programas e executar tarefas é um charme tão forte quanto sua estética, repleta de um minimalismo moderno e de fácil gosto por quem escolhe um aparelho para a produção de convites personalizados, por exemplo.

Com o passar dos anos, e a partir de cada lançamento de produtos, a Apple foi se tornando cada vez mais líder no mercado, justamente por criar as melhores formas de navegação e utilização dos computadores, criando, ainda, novos produtos e estilos de vida.

Esse foi o caso do Ipod, um aparelho menor que uma mão, capaz de processar e executar músicas via armazenamento em um sistema próprio. Aconteceu o mesmo com o Iphone, um aparelho celular inovador que segue até hoje com a máxima popularidade e sucesso.

Vale lembrar que o sistema Mac roda apenas em computadores Mac, diferente do que é proposto pela Microsoft, com o sistema operacional Windows, motivo este que pode agradar alguns e desagradar outros.

Quais as principais diferenças entre eles? 

Apesar de ambos serem sistemas operacionais e condicionarem o funcionamento e a execução de tarefas em um computador, as duas marcas proporcionam, além de finalidade, diferenças claras entre elas, sendo algumas delas:

  • Preço;
  • Estabilidade;
  • Usabilidade;
  • Design.

Em relação a acessibilidade financeira, o Windows, por ser mais popular, permite um preço mais agradável para cada tipo de bolso, embora tenham computadores mais caros, geralmente voltados para funções mais específicas, geralmente relacionadas a trabalho.

Já o Mac, por estar apenas em aparelhos da Apple, cujo design e peças utilizadas são mais caras, acaba sendo adquirido por preços mais elevados. Essa é uma questão quase sempre contornada por conta de sua boa qualidade e durabilidade.

Sobre a estabilidade, é possível verificar que PCs, ou seja, aqueles que trabalham com Windows, são mais propensos a mostrar erros e falhas, prejudicando atividades. Essa caraterística quase nunca é notada em computadores Mac, que estão em bom estado.

A usabilidade dos sistemas também é uma questão, talvez a mais determinante na fidelização dos produtos. Enquanto o Windows possui certos comandos e disposições de ícones, programas, instalação de internet, etc – com o Mac, isso é diferente.

Por serem ambos sistemas de fácil uso (claro, com certo aprendizado), geralmente, essa questão varia de pessoa para pessoa, estando relacionado ao gosto e à experiência pessoal.

A configuração física dos aparelhos tem uma diferença exorbitante, afinal, como já dito, enquanto a Mac tem ferramentas e complementos, como monitores, câmeras e mouses específicos e padrões, o Windows pode estar presente nos mais diversos aparelhos.

Melhores finalidades para cada um dos sistema 

Na hora de escolher por um computador e o sistema operacional mais adequado, muitas pessoas acabam tendo dúvidas do que é melhor para suas necessidades, sejam pessoais ou profissionais. 

Veja abaixo algumas das finalidades e necessidades que são as mais favoráveis para diferentes tipos de situações e prioridades:

1 – Edição

Em questão de edição, seja gráfica, vídeo ou áudio, os computadores que contém o  Mac são os mais populares, visto que o sistema operacional segura bem alguns processamentos e programas mais pesados, agradando e facilitando a vida de profissionais.

Em uma mesa de som profissional, por exemplo, é mais comum encontrar algum tipo de computador Mac, do que algum aparelho que rode Windows.

2 – Programação

Muitos programadores optam por investir em computadores Windows, justamente pela facilidade que existe em modificar funções relacionadas a sistema e processamento, melhorando-as ou até mesmo modificando para outros sistemas.

A liberdade de fazer modificações, tanto para testes e treinamentos dentro do trabalho de programação, quanto para uso pessoal é uma das vantagens, algo que se conecta com a possibilidade de comprar esses equipamentos por preços mais em conta.

É possível que em uma clínica que faz receituário odontológico, precise também de um sistema que permita programações, com intuito de automatizar sistemas para uso de profissionais, melhorando ainda mais os processos em um ambiente de trabalho.

3 – Redação e navegação

Se você pretende redigir textos, mexer em programas agregados dentro de plataformas web ou executar qualquer tipo de atividade comum, que não exija muito espaço de processadores ou demande muito trabalho em sistemas, o Windows é uma boa opção.

Caso você queira investir neste tipo de sistema em computadores que vão compor uma sala comercial pequena, por exemplo, o custo-benefício será ideal, ficando ainda por conta do comprador, se esse aparelho se assemelha aos gostos pessoais.

Conclusão

Escolher entre um sistema operacional e outro pode até parecer algo difícil para alguns, ainda mais para aqueles que desejam economizar um bom dinheiro, e ao mesmo tempo investir em um aparelho de qualidade. 

No entanto, seguindo as dicas dadas acima, não tem como errar!

Mas, além de custo-benefício, características externas ou finalidades, é sempre importante investir em um aparelho que vá fazer o usuário feliz, e que também pretenda ser muito usado, afinal, tecnologias muitas vezes podem ser bem caras, e precisam valer a pena.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

investir no setor de TI
Dicas da QnaxEmpresárioEmpresasPequenos Negócios

Por que investir no setor de TI?

O investimento na tecnologia da informação tem se provado uma necessidade cada vez mais aparente para todos os setores do mercado.

Foi-se o tempo em que bastava um notebook escritório para informatizar sua empresa. Hoje em dia, são necessários diversos elementos para tornar uma empresa funcional em questões de tecnologia.

A área é uma das que mais cresce atualmente e, principalmente devido a crise gerada pela pandemia do COVID-19, tem se provado ser um elemento fundamental em qualquer empresa que deseja se manter ativa.

Apesar de cada vez mais pessoas compreenderem a necessidade de ter um setor de TI, algumas empresas ainda não se deram conta da necessidade de ter uma equipe qualificada e com equipamentos de ponta para conseguir desenvolver um trabalho adequado.

Uma boa equipe de Tecnologia da Informação tem potenciais infinitos para a sua empresa, aumentando a produtividade com soluções inovadoras de tecnologia, reduzindo custos das operações e dos processos repetitivos.

Permitindo, assim, que seu time foque em conquistar novas oportunidades.

Todas essas interações acabam gerando resultados bastante positivos para a empresa, transformando o gasto com bons profissionais de TI em um investimento de retorno bastante satisfatório. 

Isso porque a margem de lucro do empresário que investe em TI tende a crescer.

Além do mais, companhias que ainda veem o setor tecnológico como um custo a mais acabam perdendo boas oportunidades de crescimento e de desenvolvimento, ficando para trás no mercado que evolui quase diariamente.

Outro grande ponto de vantagem de empresas que já tinham uma equipe de TI estruturada é que, quando o distanciamento social para conter o avanço do coronavírus se iniciou, estes empreendimentos já tinham formas de lidar com os problemas gerados.

Não basta, entretanto, ter uma boa instalação de internet em um ambiente para usufruir dessas tecnologias. É preciso pensar em todos os elementos que podem auxiliar esse tipo de trabalho.

Isso porque uma empresa que investe em TI terá muito mais soluções para trabalho home office, aplicações que funcionem remotamente e não façam a empresa perder seu trabalho, por exemplo.

As consequências de não apostar em profissionais de Tecnologia da Informação costumam ser sentidas tanto a curto, como a longo prazo.

Isso porque quanto menos uma empresa tiver investido em sua própria tecnologia, menos inovações ela conseguirá ter, e por consequência, acabará se tornando obsoleta no mercado.

Além disso, sempre que algum obstáculo surgir, o negócio precisará correr e “apagar o incêndio”, não possuindo meios de se proteger e de lidar com calma com as situações que se apresentarem.

A TI permite que uma empresa consiga automatizar processos, definir novas estratégias de negócios e usar a tecnologia a favor da empresa, não como um obstáculo, mas como uma ferramenta de produção. Por isso, o investimento na área se faz cada vez mais necessário.

Mesmo uma empresa que trabalhe com meios manuais, como uma empresa de refeições coletivas, tem muito a ganhar investindo em TI, automatizando parte de seu processo para conseguir novos resultados.

Para isso, basta compreender quais são os principais pontos em que a tecnologia da informação toma espaço no mercado e prova-se uma grande aliada de qualquer empresa. Conheça-os a seguir.

1 – Aumento de produtividade

Um negócio que investe em TI tem a possibilidade de utilizar a gestão do conhecimento, um elemento fundamental nos dias de hoje para a construção de uma boa política de processo.

Quando uma empresa está ligada de forma positiva a seu setor tecnológico, ela consegue diminuir o desaproveitamento de diversas fontes. Uma das principais é o desperdício de tempo.

Isso porque uma das grandes vantagens da Tecnologia da Informação é criar soluções de automação de processos.

Assim, tornando elementos repetitivos e que geram um desgaste de funcionários e de tempo de trabalho em processos simples, realizados por inteligência artificial (IA).

Você pode ter uma sala de reunião moderna em seu escritório, mas é com equipamentos de ponta que a diferença será feita na empresa.

Com sua equipe livre de perder tempo com atividades repetitivas, você pode focar-se no setor negocial, fundamental para o desenvolvimento da empresa.

Estas tarefas deixam de exigir que alguém especializado fique preso fazendo os serviços manuais, o que tira o medo de que, caso algo aconteça com aquele funcionário específico que o impeça de comparecer ao trabalho, todo o processo acabe parando.

Uma equipe respaldada por um setor tecnológico competente, com equipamentos adequados para trabalhar também sente-se valorizada, sabendo que é importante seu trabalho e que a empresa está cuidando do bem-estar de todos.

Como consequência, um funcionário satisfeito é muito mais produtivo do que aquele que, por conta de problemas de equipamento e de uma estrutura precária de tecnologia, acaba ficando desiludido e cansado de operacionalizar suas tarefas.

2 – Mobilidade de dados

Um dos principais pontos que fez o setor de TI ser muito alavancado depois do início da pandemia é a questão da mobilidade. A tecnologia está transformando o meio de trabalho das pessoas, desde as equipes de gestão até o operacional de uma empresa.

Inúmeras companhias já adotam o home office como parte de seu padrão de funcionamento, e até mesmo ferramentas móveis como tablets e smartphones podem ser utilizadas para o trabalho de qualquer lugar do mundo.

Entretanto, para conseguir utilizar corretamente essas funções não basta uma boa conexão com a internet no local onde o funcionário se encontra. É preciso que toda a empresa esteja estruturada para trabalhar de forma digital.

Nesse ponto, a tecnologia da informação surge como ferramenta fundamental para essa formação. 

Criar soluções que utilizem ferramentas digitais como armazenamento em nuvem, serviços e operações remotas e ferramentas de gestão são parte integrante desta criação.

A velocidade de acesso aos dados é parte essencial do trabalho de TI para permitir que toda a equipe possa usufruir do trabalho remoto. 

Essa expertise foi o que manteve – e ainda está mantendo – muitas pessoas ativas no mercado de trabalho durante o período do isolamento social.

Caso você ainda assim precise de uma assinatura física ou outro documento que não possa ser digitalizado, pode se apoiar em serviços avulsos como serviço de motoboy para entregar esse tipo de informação para o gestor.

3 – Comunicação aprimorada

Outro dos pontos positivos de um bom investimento na área de TI é que elementos como a comunicação da empresa, tanto interna quanto externa, acabam sendo otimizados pelas ferramentas digitais e tem seus custos reduzidos.

Claro que você ainda pode ter um cartão de visita colorido para sua empresa, mas hoje em dia, é fundamental se adequar à comunicação digital.

Isso porque os serviços de comunicação acabam melhorando o entendimento entre as partes e evitam o retrabalho, uma vez que é muito mais fácil identificar com quem uma pessoa precisa se comunicar e encaminhar diretamente para ela a informação.

Dentre os principais, estão:

  • E-mail;
  • Mensageiros privados;
  • Redes sociais;
  • VoIP e telefonia digital.

Além disso, podemos citar o uso de agendas e calendários integrados a ferramentas de comunicação, permitindo que todos tenham acesso a informações relevantes dentro do ambiente corporativo.

Até mesmo o gasto com viagens e estruturas de reunião pode ser reduzido se os serviços de telefonia digital e de vídeo conferências forem utilizados corretamente, otimizando o orçamento da empresa, sem perder a qualidade em sua comunicação.

4 – Melhor gestão

A tecnologia da informação consegue gerar relatórios e análises com agilidade e assertividade nos dados, permitindo a uma equipe de gestão muito mais controle sobre a situação da empresa.

Através da utilização de bancos de dados e de inteligência artificial, é possível compreender exatamente quais pontos devem ser melhorados e o que está funcionando nas decisões tomadas pela equipe de gestão.

Isso permite a criação de uma melhor visão sobre o andamento do empreendimento.

Uma empresa de auto peças universal precisa que sua equipe de administração esteja sempre ciente das etapas dos processos de venda para conseguir manter bons resultados, por exemplo.

Portanto, o setor de TI é um grande aliado da gestão, pois é de onde surgem soluções adequadas para desenvolver novas capacidades e ideias dentro do ambiente empresarial, possibilitando tomadas de decisão muito mais conscientes por parte das equipes gestoras.

Além disso, com uma boa estrutura de TI é possível acessar esses relatórios remotamente, garantindo segurança para o gestor, que também poderá ficar sobre o regime de teletrabalho, assim como seus colaboradores.

Afinal, por ocasião da atual situação em que vivemos, é importante levar em conta que quanto menos contato for necessário dentro de um ambiente corporativo, melhor para todos os envolvidos.

5 – Aumento na segurança 

Um dos principais medos da maioria dos empresários com esse avanço tecnológico é a segurança de seus dados.

Quanto mais tempo passamos na internet, mais casos vemos de pessoas que tiveram dados importantes furtados, e isso gera medo e ansiedade ao tentar levar sua empresa para o campo digital.

Entretanto, um dos alicerces de uma boa equipe de TI é a preocupação com a segurança corporativa.

Quanto mais investimento você colocar em sua equipe, mais soluções eles conseguirão criar para manter um ambiente seguro e confortável para qualquer tipo de situação.

Isso permitirá que todas as informações de sua empresa permaneçam em segurança, trazendo mais tranquilidade para a entrada no mundo digital.

Mesmo uma empresa que vende caixa para arduino precisa ter seus modelos e documentação de clientes protegido para não ter problemas.

Conclusão

A necessidade de investimento em TI tem se tornado cada vez mais uma prioridade em qualquer empresa que tem o desejo de manter-se competitiva.

Este artigo buscou apresentar a importância de como ter profissionais de Tecnologia da Informação em seu negócio torna-se indispensável para se reinventar em um mercado que sofre constantes atualizações.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Dicas da Qnax

Agenda: saiba porque é importante ter uma

Ferramenta é útil para ajudar a organizar e equilibrar compromissos tanto pessoais quanto profissionais.

Um dos seus planos para o ano novo é, finalmente, conseguir equilibrar os compromissos do trabalho com uma vida mais saudável, passando mais tempo de qualidade com as pessoas que são importantes para você? Ter uma agenda pode ser o primeiro passo para chegar a esse objetivo.

Existem várias ferramentas digitais que funcionam como agenda e facilitam a vida, mas nenhuma delas substitui a tradicional, de papel. Pelo contrário, elas se complementam. Escolher um modelo diferente ou com um tema que você goste é uma boa ideia para deixar a organização de atividades mais prazerosa.

Está pensando em comprar uma agenda para 2021, mas não tem certeza de que isso é para você? Os motivos a seguir vão te mostrar porque você deveria adquirir a sua quanto antes.

Ativa a memória

Quando você anota um compromisso na agenda, a parte do cérebro que faz o reconhecimento visual das palavras também é ativada, sendo mais uma garantia de que você não vai esquecer o compromisso. No entanto, caso esqueça, a agenda estará lá para te relembrar.

Torna suas prioridades visíveis

Nem sempre a gente consegue fazer tudo o que está previsto no dia, então uma agenda de papel pode te ajudar a identificar o que é mais urgente. Como você visualiza todos os seus compromissos em uma página, é possível ter uma visão geral de como será a sua rotina.

Você pode, por exemplo, circular o que é urgente e começar com essas atividades. Vale anotar tudo: desde reunião no trabalho até aula de ioga, segunda-feira sem carne e café com um amigo. Inclusive, esse é um bom jeito de aprender a priorizar os compromissos com a sua saúde e vida pessoal.

Facilita a marcação de compromissos

Uma dica para usar a agenda com eficiência é anotar os horários na frente dos compromissos e fazer isso por ordem cronológica. Assim, se você precisa marcar uma reunião ou uma consulta, basta ir à página daquele dia e identificar quais são as horas livres, evitando que você se confunda.

Funciona em qualquer lugar

A ideia é levar a agenda sempre com você para ter todos os compromissos e as anotações disponíveis 24 horas, 7 dias por semana. Ao contrário das agendas on-line, essa não precisa de bateria ou internet, ou seja, você não corre o risco de não conseguir consultá-la quando mais precisa.

Pode ser usada como um diário

Como a agenda de papel não tem as limitações de uma ferramenta digital, você pode separar um espaço todos os dias para escrever como se sente ou marcar algum acontecimento importante. Assim, ela funciona como um diário, te ajudando a desabafar e lembrar quando os eventos aconteceram.

Garante que você não perca prazos

Além de anotar os prazos, você pode colocar lembretes de que alguns deles estão chegando nos dias que antecedem a data final. Dessa forma, você reforça essa informação, o que aumenta as chances de que você não perca nada ou deixe para o último momento.

Ajuda a lembrar os aniversários

Quem tem o hábito de usar agenda costuma esquecer menos os aniversários dos amigos, dos familiares e de outras pessoas importantes. Uma dica é anotar todos eles logo no início do ano. Assim, quando o dia chegar, você vai abrir a agenda e lembrar.

É prazeroso marcar atividades completas

Para ir acompanhando o que já foi feito e o que ainda falta ao longo do dia, é uma boa ideia dar check sempre que finalizar uma atividade. A sensação de tarefa cumprida certamente te dará ânimo para partir para o próximo item da lista.

 

Dicas da Qnax

Você sabe como surgiu o primeiro Motorola? Conheça a história

A empresa americana contribuiu para o desenvolvimento do conceito dos aparelhos de celular —  entenda o porquê.

A Motorola é uma das principais empresas de telecomunicações do mundo todo. É provável que você a conheça especialmente pela diversidade de aparelhos de celular que a marca oferece, uma vez que a companhia é uma das líderes de venda do setor.

Apesar de sua contribuição histórica para o desenvolvimento da telefonia móvel no mundo, a verdade é que a Motorola iniciou suas atividades antes mesmo da invenção dos aparelhos celulares. Seu primeiro produto popular, por exemplo, foi uma espécie de rádio para carros, um dos primeiros do mundo.

Aliás, foi desse item que surgiu o seu nome da marca: Motorola é uma combinação de “motor”, em referência aos automóveis, e “ola”, sufixo que indica funcionalidade sonora, como acontece com a formação da palavra “vitrola”, por exemplo.

Inicialmente, a empresa chamava-se Galvin MFG Corporation, levando o sobrenome dos irmãos que fundaram-na em 1928, em Illinois, nos Estados Unidos: Paul e Joseph Galvin.

Primeiro celular da história

O conceito de um telefone móvel, que pudesse ser atribuído a uma pessoa, em vez de uma residência ou uma empresa, começou a ser discutido nos escritórios da Motorola por meio do engenheiro Martin Cooper. Na época, a marca era líder dos car phones, uma espécie de telefones para carros, que tinha uma comunicação via rádio bastante limitada.

Segundo o próprio engenheiro, esse desejo vinha da ficção em quadrinhos. Naquele momento dos Estados Unidos, as histórias do detetive Dick Tracy eram muito populares no país, e o personagem se comunicava por meio de uma espécie de rádio-relógio.

A junção entre ciência e ficção motivou o engenheiro a uma sequência de dez anos seguidos de pesquisa em busca da solução para fazer o seu sonho acontecer. Daí, surge o que é considerado o primeiro celular da história — ainda apenas um protótipo. Batizado como DynaTAC 8000x, no dia 3 de abril de 1973, ele realizou a primeira ligação a partir de um aparelho de telefone móvel da história.

Munido de muito orgulho e bastante senso de humor, Martin Cooper fez essa ligação para a AT & T, empresa que, na época, era concorrente da Motorola.

Disponibilidade no mercado

Apesar de ter um protótipo funcional, o aparelho chegou às lojas somente mais de uma década depois, disponível para compra. Os registros da época dão conta de que o primeiro Motorola DynaTAC 8000x foi comprado no dia 13 de março de 1984, quase 11 anos após a ligação bem humorada de Cooper.

Bem diferente do design dos aparelhos contemporâneos que conhecemos hoje, o telefone era muito maior que aqueles que estamos acostumados. Ele media 33 centímetros, um pouco maior que uma régua escolar convencional, com 4,4 centímetros de largura.

Na época, por seu formato próximo a um paralelepípedo, o Motorola DynaTAC 8000x foi apelidado de “brick” ou “tijolo”, em português. Esse apelido acompanhou os aparelhos posteriores a ele, fabricados pela mesma empresa, exatamente pelo formato e pelas dimensões.

O Motorola DynaTAC 8000x não chegou a ser comercializado no Brasil. Por aqui, só na década de 90 é que a telefonia móvel esteve disponível para a população do país. O primeiro celular a chegar em território nacional foi um aparelho da mesma empresa: o Motorola PT-550.

Bem mais avançado que o DynaTAC 8000x, o PT-550 já tinha até identificador de chamadas. Além disso, ele também contava com agenda eletrônica e era um modelo flip, com uma parte dobrável que protegia o teclado e funcionava como o microfone do aparelho.